Twitter RSS
Close

Atlético/PR 3 x 0 Palmeiras – 28/08/2013

A única chance de ganhar algo decente nesse ano e chegar a Libertadores no ano do centenário foi por terra.

Jogando mal e desorganizados fomos superados pelo Atlético, que vive um ótimo momento, e eliminados da competição logo nas oitavas.

Vergonhoso.

Jogo de volta válido pelas oitavas de final da Copa do Brasil 2013.

Gols, melhores momentos.

FICHA TÉCNICA

Local: Vila Capanema, Curitiba (PR)
Data: 28/08/2013
Horário: 21h50 (horário de Brasília)
Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (MG)
Auxiliares: Altemir Hausmann (MG) e Kléber Lucio Gil (MG)
Cartão Amarelo: Léo, Zezinho (CAP); Henrique, Fernandinho (PAL)
Gols: Ederson, aos 34 minutos do primeiro tempo, Paulo Baier aos 21 do segundo e Ederson aos 32 do segundo tempo

AtléticoPR: Weverton; Léo (Jonas), Manoel, Luiz Alberto e Pedro Botelho (Willian Rocha); João Paulo, Zezinho, Paulo Baier e Everton; Dellatorre (Marcelo) e Ederson
Técnico: Vágner Mancini

Palmeiras: Fernando Prass; Luis Felipe, Henrique, Vilson e Juninho (Caio); Márcio Araujo (Fernandinho), Charles (Ronny), Wesley e Mendieta; Leandro e Alan Kardec
Técnico: Gilson Kleina

Frio, Palmeiras perde e dá adeus à Copa do Brasil
Nem parecia mata-mata… Palmeiras joga mal, leva 3 a 0 do Atlético-PR e é eliminado. Libertadores no centenário já era.

Precisando de uma vantagem igual ou superior que um gol, o Atlético-PR iniciou o jogo partindo para cima do Palmeiras. Logo no primeiro minuto Paulo Baier tocou para Ederson finalizar de canhota, nas mãos de Prass. No lance seguinte a chance foi mais clara. Baier cobrou escanteio e Luiz Alberto, livre de marcação, escorou para boa defesa do goleiro Palmeirense.

Aos 11 minutos Manoel arriscou de longe, para fora. O Verdão só foi responder aos 17, quando Luis Felipe enfiou para Leandro; a bola chegaria e o atacante sairia na cara de Weverton, mas Zezinho se esticou todo para cortar.

Após o susto, o Atlético voltou a pressionar. Aos 22 minutos Pedro Botelho armou meio que no susto um jogada de perigo. O lateral acabou enfiando para Dellatorre, que mesmo na cara de Prass finalizou para fora. No contra-ataque desta jogada Leandro carregou a bola pela esquerda e demorou, até finalizar fraco. Mendieta aparecia livre pelo lado oposto.

Aos poucos o time de Kleina foi conseguindo segurar o ímpeto dos mandantes, mas aos 34 minutos, após uma cobrança de lateral o gol saiu. Pedro Botelho ljogou na área, Dellatorre resvalou e Ederson se antecipou a Juninho para fazer 1 a 0.

Atrás no marcador, o Verdão se soltou um pouco mais. Aos 38 minutos Leandro enfiou para Juninho, que saiu na cara do goleiro e finalizou em cima dele, mas o assistente já havia assinalado um impedimento inexistente. Aos 43 Wesley experimentou de fora da área, mas errou por muito. Pouco depois o árbitro encerrou a etapa inicial na Vila Capanema.

No segundo tempo a partida voltou mais corrida, com os dois times procurando o ataque. No primeiro minuto Charles arriscou da entrada da área, por cima. A resposta do Atlético veio aos 2, na mesma moeda com Paulo Baier. O Verdão parecia melhor. Apenas parecia…

Com o passar do tempo, talvez satisfeito com a possibilidade de decidir a vaga nos pênaltis, o time de Kleina voltou a se acomodar. Aos 18 minutos, numa rara investida, Wesley enfiou para Leandro que simulou um pênalti, mas novamente o assistente assinalava impedimento que não aconteceu.

A resposta dos mandantes foi fatal. Aos 21 minutos Ederson arriscou da entrada da área, Prass deu rebote e Paulo Baier, no alto de seus 38 anos, foi mais veloz que toda defesa alviverde: 2 a 0. Os Palmeirenses reclamaram de falta na origem da jogada.

Precisando de um gol para se classificar, aos 24 Kleina resolveu ser “ousado”, sacando Charles para a entrada de Ronny. Com o time escancarado, as chances de gol surgiram. Mas para o Atlético. Aos 31 minutos Luis Felipe escorregou na frente de Ederson, que conseguiu perder gol feito. No minuto seguinte, porém, o atacante não desperdiçou: após cruzamento de Marcelo ele apenas empurrou para o fundo da rede: 3 a 0.

A vaca (e a vaga) já tinha ido para o brejo, mesmo assim Kleina promoveu mais duas alterações que tornaram o Palmeiras mais ofensivo (Araújo por Fernandinho e Juninho por Caio), e algumas chances foram criadas, como um chute perigoso de Ronny aos 37 e outro de Leandro aos 47, mas foi só.

Eliminado da Copa do Brasil, o Verdão deu adeus à possibilidade de disputar a Libertadores em 2014, ano do centenário.

De volta à dura realidade, o Palmeiras volta a campo às 21h de sábado (dia 31) para enfrentar o Ceará, fora de casa. O jogo, válido pela penúltima rodada do primeiro turno da Série-B, pode marcar o retorno de Valdivia.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.