Twitter RSS
Close

Palmeiras 3 x 1 Guaraní (PAR) – 10/03/2020

O jogador Luiz Adriano, da SE Palmeiras, comemora seu gol contra a equipe do C Guaraní, durante partida válida pela segunda rodada, fase de grupos, da Copa Conmebol Libertadores, na arena Allianz Parque. (Foto: Cesar Greco)

Após vencer na Argentina na estreia da competição continental, o Palmeiras recebeu os paraguaios do Guaraní, que eliminou o rival na fase preliminar.

Depois de um primeiro tempo complicado, travado e catimbado pelos paraguaios, o Palestra achou a melhor forma de rodar a bola no ataque e envolver a bem armada defesa do adversário, que até sofrer o primeiro gol só quis saber de catimbar e fazer o tempo passar. Com a marcação do primeiro gol, Dudu, Rony e Willian tiveram os espaços que precisavam e ficou fácil construir o placar.

Com a vitória – a 100ª na competição continental, o Verdão chega a 6 pontos e vira líder isolado do Grupo B da Libertadores, 3 pontos a frente do próprio Guaraní, e 3 a mais que o próximo adversário, o Bolivar, que derrotou o Tigre por 2 a 0 na Bolívia.

Jogo de ida válido pelo 2º confronto da fase de grupos da Libertadores 2020.

FICHA TÉCNICA

Local: Allianz Parque, em São Paulo-SP
Data: 10/03/2020, terça-feira
Horário: 21h30 (de Brasília)
Árbitro: Roberto Tobar (CHI)
Assistentes: Christian Schiemann (CHI) e Claudio Rios (CHI)
Público: 28.267 pagantes
Renda: R$ 1.900.019,84
Cartões amarelos: Marcos Rocha, Gomez (PAL); Morel, Rodrigo Fernandez, Edgar Benitez, Merlini, Baez (GUA)
Gols: Palmeiras: Luiz Adriano, aos 7, aos 27 e aos 36 minutos do segundo tempo;
Guaraní-PAR: Bobadilla, aos 43 minutos do segundo tempo

Palmeiras: Weverton; Marcos Rocha, Felipe Melo, Gomez (Vitor Hugo) e Viña; Bruno Henrique, Ramires (Patrick de Paula) e Dudu; Willian (Zé Rafael), Rony e Luiz Adriano
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

Guaraní-PAR: Servio; Davalos, Romaña, Baez e Guillermo Benitez; Redes, Rodrigo Fernandez, Angel Benitez e Morel (Barrientos); Edgar Benitez (Merlini) e Bobadilla
Técnico: Gustavo Costas

PTD, Lancenet!Globo EsporteTerra EsportesEstadao.

ADVERSÁRIOS EM 1968, PALMEIRAS E GUARANÍ SE ENFRENTAM PELA TERCEIRA VEZ

Palmeiras e Guaraní se enfrentaram somente duas vezes ao longo da história, ambas pela Libertadores de 1968. Na ocasião, o Verdão foi vice-campeão do torneio continental e eliminou os paraguaios na 3ª fase do torneio – dos três componentes do grupo, que reunia também a Universidad Católica-CHI, apenas um se classificava.

O Verdão foi derrotado no primeiro encontro por 2 a 0, no Savóia, em Assunção (PAR), em 24 de março, mas deu o troco na partida de volta, vencida por 2 a 1 no estádio do Pacaembu, no dia 4 de abril – gols de Júlio Amaral e Tupãzinho. O time alviverde terminou em primeiro da chave, com três vitórias e uma derrota, e avançou assim para a semifinal contra o Peñarol.

Com a vitória sobre o Guaraní, do Paraguai, o time do técnico Vanderlei Luxemburgo chegou aos seis pontos e assumiu a liderança da chave

Com muita velocidade no ataque e uma bela atuação de Luiz Adriano, o Palmeiras derrotou o Guaraní, do Paraguai, por 3 a 1, nesta terça-feira à noite, no Allianz Parque, pela segunda rodada do Grupo B da Copa Libertadores.

Com a segunda vitória consecutiva, o time do técnico Vanderlei Luxemburgo chegou aos seis pontos e assumiu a liderança da chave, contra três do Guaraní e do Bolívar, que também venceu o Tigre, nesta terça-feira, por 2 a 0, na Bolívia.

O triunfo foi histórico, pois foi a 100.ª vez que o Palmeiras venceu na Libertadores. O time também soma 52 empates e 32 derrotas. O Palmeiras começou em alta velocidade. Logo aos dois minutos, uma jogada incrível. Cinco jogadores dentro da pequena área do Guaraní, várias vezes a bola foi chutada, mas não entrou no gol paraguaio.

Com Rony, Willian, Dudu e Luiz Adriano, o Palmeiras foi muito rápido, mas não teve organização. Faltou um meia para pensar o jogo. Ramires, enquanto teve fôlego, apareceu no campo todo, mas cansou depois dos 35 minutos. Para piorar, o time entrou na catimba dos paraguaios, que buscaram parar o jogo a todo instante e ganhar tempo até nas cobranças de lateral.

O nervosismo de Vanderlei Luxemburgo à beira do gramado passou para os jogadores e Marcos Rocha recebeu um cartão amarelo, ao chutar a bola na cabeça de Bombadilla, depois de o jogador estar no chão, ao receber falta de Felipe Melo.

O desequilíbrio emocional fez o Palmeiras não conseguir furar o bloqueio da zaga adversária e ainda ver seu setor defensivo ficar vulnerável aos contra-ataques do Guaraní.

No segundo tempo, o Palmeiras voltou privilegiando as triangulações, enquanto o Guaraní se mostrava bem armado para buscar os contragolpes.

Mas os oito minutos o Palmeiras foi rápido na cobrança de uma falta na intermediária. Dudu fez ótimo lançamento e Luiz Adriano, meio sem jeito, empurrou para o meio das pernas do goleiro Sérvio: 1 a 0.

Os paraguaios reclamaram muito com a arbitragem e perderam um pouco a concentração. O Palmeiras, ao contrário, ganhou confiança e passou a furar mais o bloqueio do adversário. Rony perdeu enorme oportunidade, após cruzamento de Luiz Adriano.

A partir dos 20 minutos, o jogo ganhou características diferentes. O Guaraní passou a ter a iniciativa e o Palmeiras se armou para os contra-ataques e os espaços surgiram na zaga paraguaia. E foi fatal.

Em rápida troca de passes entre Rony e Bruno Henrique, Luiz Adriano foi lançado e fez o segundo gol, aos 27 minutos. Aos 36, o atacante chegou ao hat-trick, após arrancada de Dudu pela esquerda. O atacante marcou presença na pequena área para empurrar a bola para dentro.

Com a vitória garantida, o Palmeiras deixou a marcação frouxa e o Guaraní diminuiu, aos 42 minutos, com um belo gol de Bobadilla, após “matar” a bola com grande categoria diante de Weverton.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.