Twitter RSS
Close

Palmeiras 6 x 2 CSA – 26/09/2019

O jogador Willian, da SE Palmeiras, comemora seu gol contra a equipe do CSA, durante partida válida pela vigésima primeira rodada, do Campeonato Brasileiro, Série A, no Estádio do Pacaembu. Crédito: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação

Com o intuito de vencer para manter-se na cola do líder, o Palestra foi a campo contra a equipe alagoana com o que tem de melhor no elenco.

Em ritmo de treino o Verdão aplicou uma sonora goleada e nem os 2 gols sofridos fizeram alguma diferença para o torcedor.

Foi um passeio. Muita posse de bola, triangulações e boas jogadas construíram o placar praticamente ao natural. Mesmo com o placar definido ainda na primeira etapa (4×0), os comandados de Mano Menezes mantiveram a pegada e ampliaram na etapa complementar. A goleada não foi maior por detalhes.

Com o atropelamento no Pacaembu o Palmeiras emplaca a quinta vitória seguida no Brasileirão e chega a 45 pontos, mantendo a perseguição ao líder Flamengo.

Jogo válido pela 21ª rodada do Brasileirão 2019.

FICHA TÉCNICA

Local: Pacaembu, São Paulo-SP
Data: 26/09/2019, quinta-feira
Horário: 19h15 (de Brasília)
Árbitro: Diego Pombo Lopez (BA)
Assistentes: Alessandro Alvaro Rocha de Matos (BA-Fifa) e Bruno Raphael Pires (GO-Fifa)
Cartão amarelo: Jean Cléber (CSA)
Gols: Palmeiras: Luiz Adriano, aos 5 minutos do primeiro tempo e aos 29 do segundo; Willian, aos 10 minutos do primeiro tempo, Bruno Henrique, aos 28 minutos do primeiro tempo e aos 37 do segundo, e Gómez, aos 46 minutos do primeiro tempo;
CSA: Apodi, aos 6 minutos do segundo tempo, e Ricardo Bueno, aos 42 minutos do segundo tempo

Palmeiras: Weverton; Jean, Gustavo Gómez, Vitor Hugo, Diogo Barbosa; Felipe Melo (Matheus Fernandes), Bruno Henrique, Dudu, Gustavo Scarpa (Lucas Lima), Willian (Hyoran) e Luiz Adriano
Técnico: Mano Menezes

CSA: Jordi; Dawhan, Alan Costa, Luciano Castán, Carlinhos; Naldo, Jean Cleber, Jonatan Gómez (Euller), Apodi, Bustamonte (Jarro Pedroso) e Alecsandro (Ricardo Bueno)
Técnico: Argel Fucks

PTD, ESPN,

PALMEIRAS X CSA: RETROSPECTO GERAL
O Verdão e a equipe alagoana se enfrentaram em seis ocasiões: quatro vitórias alviverdes, um empates e um triunfo do CSA, com oito gols marcados a favor do Maior Campeão do Brasil e dois sofridos.

PALMEIRAS X CSA: ÚLTIMO ENCONTRO
A última partida entre Palmeiras e CSA terminou empatada em 1 a 1 (gol de Raphael Veiga), no estádio Rei Pelé, dia 1º de maio, em duelo válido pela 2ª rodada do Campeonato Brasileiro deste ano. Naquela oportunidade, o Verdão foi a campo com Jailson; Mayke, Antônio Carlos, Edu Dracena e Victor Luis; Thiago Santos, Moisés (Matheus Fernandes), Lucas Lima e Hyoran (Felipe Pires) e Raphael Veiga (Carlos Eduardo); Deyverson. O empate diante do time alagoano foi o único que não terminou com vitória palmeirense nas nove rodadas iniciais do Brasileirão – que coincide com o período de jogos antes da parada da competição para a disputa da Copa América. Após superar o Fortaleza na estreia da competição, o Verdão ainda venceu Internacional, Atlético-MG, Santos, Botafogo, Chapecoense, Athletico-PR e Avaí.

PALMEIRAS X CSA NO PACAEMBU
O Palmeiras encarou o CSA apenas uma vez no estádio do Pacaembu: em 1977, pelo Campeonato Brasileiro, o Verdão venceu por 1 a 0, com gol marcado por Ivo.

Palmeiras massacra CSA por 6 a 2, vence a 5ª seguida com Mano e segue na perseguição ao Flamengo

Francisco De Laurentiis
Em uma atuação de gala, principalmente no primeiro tempo, o Palmeiras massacrou o CSA por 6 a 2, nesta quinta-feira, pela 21ª rodada do Campeonato Brasileiro.
Com o resultado, o Verdão foi a 45 pontos e se manteve a 3 do Flamengo, que, na última quarta-feira, chegou a 48 com o triunfo sobre o Internacional.

O grande resultado palestrino foi quase todo construído no primeiro tempo, quando a equipe de Mano Menezes aproveitou muito bem os espaços deixados pelo rival para construir uma goleada.

Luiz Adriano, Willian, Bruno Henrique e Gustavo Gómez criaram boa vantagem para os donos da casa durante a etapa inicial.

No início do segundo tempo, os visitantes diminuíram com um golaço de Apodi, mas Mano Menezes mexeu bem no time e ampliou a conta.

Após a entrada de Lucas Lima, que aproveitou bem a oportunidade, Luiz Adriano e Bruno Henrique fizeram mais um cada, ampliando a contagem no Pacaembu.

Nos minutos finais, Ricardo Bueno descontou para a equipe azul e branca, mas a reação parou por aí.

6 a 2, fora o baile!

Na próxima rodada, o Palmeiras visita o Internacional, domingo, às 16h (de Brasília), no Beira-Rio.

No mesmo dia e horário, o CSA encara o Santos, na Vila Belmiro.

O JOGO

No embalo da torcida, o Palmeiras demorou apenas 5 minutos para abrir o placar.

Aproveitando um escorregão de Alecsandro no meio-campo, Bruno Henrique recuperou e lançou Dudu na ponta direita. O camisa 7 avançou e cruzou com precisão para Luiz Adriano, que chegou completando de chapa para o fundo das redes de Jordi.

O CSA tentou não se abalar e foi para cima, ficando perto de empatar aos 10: após bate-rebate na área, Apodi tentou de bicicleta e mandou perto da trave de Weverton.

No lance seguinte, porém, o Verdão ampliou.

Em uma linda jogada pela direita, Dudu deu de calcanhar para Scarpa, que cruzou para Bruno Henrique. O volante ajeitou de peito para Willian, que apareceu livre na área e só rolou no cantinho para anotar o 2º da noite.

Os donos da casa seguiram em cima e tiveram mais uma oportunidade aos 19: em cobrança rápida de falta, Dudu recebeu pela esquerda e bateu forte, mas desta vez Jordi defendeu em dois tempos.

Só dava Palmeiras, e os gols iam saindo naturalmente, aproveitando as falhas gritantes da defesa alagoana.

Aos 28 minutos, Diogo Barbosa recebeu completamente livre pela esquerda e cruzou para Bruno Henrique, que deu um belo tapa de primeira, sem chances para Jordi.

Completamente acuado, o CSA tentava responder em chutes de longe, e acabou levando perigo aos 30, quando Jonathan Gómez bateu bonito e viu Weverton fazer grande defesa, quase no ângulo.

Mas o Alviverde não parava de atacar, e quase fez o 4º gol com Dudu, aos 35: o baixinho saiu driblando desde o meio-campo e soltou um foguete da intermediária, tirando tinta da trave.

Pouco depois, aos 38, foi a vez de Gustavo Scarpa mandar uma bomba da entrada da área. Jordi se esticou todo e mandou para escanteio.

Na base da insistência, saiu o 4º gol ainda na primeira etapa: após cobrança de escanteio, Felipe Melo ganhou pelo alto e Gustavo Gómez completou, também de testa, para o fundo das redes, aumentando o massacre no Pacaembu.

O segundo tempo começou de maneira idêntica: logo em seu primeiro lance de ataque, Gustavo Scarpa disparou de fora da área e quase acertou o ângulo do CSA.

Superado o susto, time alagoano reagiu e conseguiu diminuir: aos 6 minutos, Apodi recebeu pela esquerda e arriscou de muito longe. A bola pegou um lindo efeito e encobriu Weverton, num verdadeiro golaço!

Depois disso, o Palmeiras passou a tocar a bola de maneira insistente, mas sem conseguir mais furar a defesa alagoana. Insatisfeito, Mano Menezes trocou Gustavo Scarpa por Lucas Lima em busca de mais gols.

E logo em seu primeiro lance, Lucas Lima quase deu uma bela assistência: seu cruzamento da esquerda saiu perfeito para a cabeçada de Willian, mas Jordi fez grande defesa e salvou.

Na segunda jogada do camisa 20, porém, a bola entrou: aos 30, o meia cruzou mais uma vez da esquerda e Luiz Adriano deu uma voadora na bola para fazer o 5º tento palestrino.

A conta alviverde foi fechada com um dos gols mais bonitos da noite: aos 38, Lucas Lima, que entrou muito bem, deu bola em profundidade para Dudu, que pedalou para cima da zaga e cruzou para Bruno Henrique chegar batendo de primeira.

Nos minutos finais, Ricardo Bueno recebeu cruzamento da esquerda e testou para descontar, mas a reação do CSA parou por aí.

No último lance de destaque, Luiz Adriano completou cruzamento e viu a bola passar resvalando a trave, no que poderia ter sido o 7º gol palestrino.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.