Twitter RSS
Close

São Paulo 0 x 0 Palmeiras – 30/03/2019

O jogador Ricardo Goulart, da SE Palmeiras, disputa bola com o jogador Liziero, do São Paulo FC, durante partida valida pelas semi final (ida), do Campeonato Paulista, Série A1, no Estádio do Morumbi. Crédito: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação

Um bom e disputado jogo marcou o primeiro confronto da semifinal do estadual 2019.

O placar não refletiu o que as equipes fizeram em campo. Muita movimentação, bolas na trave e até uma polêmica com o uso do VAR que anulou a marcação de um pênalti para o Verdão.

Antes de reencontrar o São Paulo, no próximo domingo, o Verdão visitará o San Lorenzo pela terceira rodada da fase de grupos da Libertadores.

Jogo de ida válido pela semifinal do Paulistão 2019.

FICHA TÉCNICA

Local: Morumbi, São Paulo-SP
Data: 30/03/2019, sábado
Horário: 18h00 (de Brasília)
Árbitro: Vinicius Furlan
Assistentes: Marcelo van Gasse e Danilo Simon
Público: 43.292 pagantes
Renda: R$ 1.809.853,00
Cartões amarelos: Luan, Liziero, Arboleda e Hudson (SAO); Victor Luis, Felipe Melo, Marcos Rocha e Gustavo Scarpa (PAL)

São Paulo: Tiago Volpi; Hudson, Bruno Alves, Anderson Martins (Arboleda) e Reinaldo; Luan, Liziero e Igor Gomes (Nenê); Antony, Everton Felipe (Everton) e Pablo
Técnico: Vagner Mancini

Palmeiras: Weverton; Marcos Rocha (Mayke), Antônio Carlos, Edu Dracena e Victor Luis (Diogo Barbosa); Felipe Melo, Bruno Henrique e Ricardo Goulart (Lucas Lima); Gustavo Scarpa, Dudu e Deyverson
Técnico: Felipão

Jogo completo, PTD, ESPN, Lancenet!Globo EsporteTerra EsportesEstadao,

PALMEIRAS x SÃO PAULO: RETROSPECTO GERAL

Palmeiras e São Paulo se enfrentaram 312 vezes ao longo da história, com 105 vitórias do Verdão, 99 empates e 108 do Tricolor (408 gols palestrinos e 407 são-paulinos).  Vale lembrar que estes dados contabilizam confrontos entre os dois times a partir de 1936. Entre 1930 e 1935, o São Paulo da Floresta cruzou o caminho esmeraldino 16 vezes. Foram cinco vitórias, sete empates e quatro derrotas. O Verdão marcou 24 gols e foi vazado em 25 oportunidades.

PALMEIRAS x SÃO PAULO: RETROSPECTO NO CAMPEONATO PAULISTA

Considerando apenas clássicos válidos pelo torneio estadual, o Verdão não perde para o rival desde 2009. Entre 2010 e 2019, foram 10 jogos disputados no período: o Palmeiras venceu sete vezes e empatou em outras três oportunidades (19GP e 4GC). Ao todo, foram 162 partidas disputadas pelos dois clubes no Paulista, com 52 vitórias do Verdão, 45 empates e 65 triunfos tricolores – 205 gols marcados contra 232 sofridos.

PALMEIRAS x SÃO PAULO: FIM DO TABU

O último encontro entre Palmeiras e São Paulo no estádio do Morumbi, em outubro de 2018, durante a caminhada alviverde rumo ao título do Campeonato Brasileiro, marcou o fim do tabu de 16 anos sem triunfos palestrinos na casa do rival. O Verdão venceu por 2 a 0, com gols do zagueiro Gustavo Gómez e do atacante Deyverson. Sob o comando de Luiz Felipe Scolari, o time verde e branco foi a campo com Weverton; Marcos Rocha (Mayke), Luan, Gustavo Gómez, Victor Luis; Felipe Melo, Moisés, Lucas Lima (Bruno Henrique); Hyoran (Willian), Dudu e Deyverson.

PALMEIRAS x SÃO PAULO: ÚLTIMO JOGO

A partida mais recente entre Palmeiras e São Paulo foi disputada no dia 16 de março deste ano, válida pela primeira fase do Campeonato Paulista 2019. Com mando tricolor, o jogo aconteceu no estádio do Pacaembu e terminou com vitória palmeirense por 1 a 0 – o tento foi anotado pelo atacante Carlos Eduardo, aos 34 minutos da segunda etapa, após bela tabela com Dudu e grande finalização de fora da área. Naquela oportunidade, o Verdão foi a campo com Weverton; Mayke, Antônio Carlos, Gustavo Gómez e Victor Luis; Felipe Melo e Moisés (Bruno Henrique); Dudu (Jean), Ricardo Goulart e Gustavo Scarpa; Borja (Carlos Eduardo).

VAR desmarca pênalti em Dudu, e Palmeiras empata sem gols com o São Paulo no Morumbi

Arbitragem da FPF volta a prejudicar o Verdão; resultado deixa vaga na final do estadual em aberto.

Com praticamente o mesmo time que derrotou o Novorizontino, o Verdão iniciou o jogo trabalhando melhor a bola que o São Paulo. Aos 4 minutos a primeira finalização: Scarpa arriscou de fora da área após jogada ensaiada em cobrança de falta, mas errou o alvo. Aos 7 uma bela troca de passes entre Scarpa, Deyverson e Goulart terminou com o camisa 11 chutando por cima do travessão.

O time da casa foi finalizar pela primeira vez apenas aos 14 minutos, e com perigo: Everton Felipe bateu colocado buscando o ângulo esquerdo de Weverton e viu a bola passar muito perto. A resposta do Palmeiras não demorou: aos 22 minutos Dudu soltou a bomba de longe e a bola explodiu no trave.

O jogo era lá e cá. Aos 27 minutos Lizieiro passou por Marcos Rocha e cruzou para Pablo resvalar de cabeça; a bola quicou no travessão e saiu. Aos 31 Weverton errou na saída de bola, Bruno Henrique se atrapalhou e o São Paulo quase abriu o placar com Reinaldo, que bateu com o pé ruim, para fora.

Aos 33 minutos Dudu voltou a mostrar boa pontaria num chute de fora da área, dessa vez exigindo ótima defesa de Tiago Volpi. Não deu tempo para o time de Felipão se empolgar. Aos 34 a bola sobrou para Pablo e ele bateu com muito perigo; Weverton tirou com os olhos.

O Palmeiras poderia ter aberto o placar aos 37 minutos, quando Reinaldo empurrou Dudu dentro da área, em pênalti claro assinalado por Vinícius Furlan, mas pressionado pelos jogadores do São Paulo (e talvez por algum tutor da FPF) o árbitro recorreu ao VAR e anulou.

A polêmica paralisou o clássico por 5 minutos. Quando foi reiniciado, o Verdão continuou um pouco superior e criou uma boa chance aos 45: Scarpa cruzou para Deyverson desviar de primeira, para fora. Foi o último lance de perigo da etapa inicial, que teve apenas 2 minutos de acréscimo. Bizarro.

O São Paulo iniciou o segundo tempo tomando a iniciativa. Aos 2 minutos Igor Gomes arriscou da entrada da área, por cima. Aos 7 o rival abriu o placar, mas o árbitro não tinha como validar porque Bruno Alves montou nas costas de Marcos Rocha antes de escorar de cabeça após cobrança de escanteio.

Aos 15 minutos Victor Luis pediu substituição em função de uma torção de tornozelo que sofreu aos 5, numa dividida com Antony. Diogo Barbosa entrou em seu lugar. Aos 23 minutos Felipão mexeu na outra lateral, mas por Marcos Rocha estar amarelado; Mayke foi para o jogo.

Num ritmo mais cadenciado, o Palmeiras finalizou pela primeira vez na etapa final apenas aos 26 minutos, mas o chute de Bruno Henrique não levou perigo a Tiago Volpi. Para tentar organizar melhor ao time, aos 31 Scolari trocou Goulart por Lucas Lima.

As melhores chances de gol do Verdão, porém, surgiriam de bola parada: aos 35 minutos Dudu cobrou falta, Deyverson tentou ajeitar para Antônio Carlos, mas um zagueiro se antecipou ao camisa 25 e mandou para escanteio. Na cobrança do camisa 7, Bruno Henrique não conseguiu finalizar em cheio de canhota.

Nos últimos minutos do segundo tempo, contando os 3 de acréscimo, as duas equipes não conseguiram criar chances reais de gol. O empate deixa a disputa da vaga na final do estadual em aberto. Quem vencer no Allianz Parque leva.

Antes de reencontrar o São Paulo o Verdão visitará o San Lorenzo pela terceira rodada da fase de grupos da Libertadores. O jogo será às 19h15 de terça-feira (02/04).

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.