Twitter RSS
Close

Oeste 0 x 1 Palmeiras – 30/01/2019

Felipe Pires festeja o gol do Palmeiras (Foto: Ale Cabral / Estadão Conteúdo)

Abusando do expediente das faltas a ex-equipe de Itápolis, agora em Barueri, tentou matar as jogadas e travar o jogo a todo o custo. A arbitragem conivente, principalmente no primeiro tempo, deixou o jogo correr como se fosse uma disputa de vale tudo. No rigor da regra, um pênalti não marcado em Deyverson e 2 vermelhos não aplicados a jogadores do Oeste.

Apesar da pancadaria, o Palmeiras jogava bola e dominava a partida, contudo, não conseguia vazar a defesa adversária. Aos 15 segundos da etapa final Felipe Pires vence o adversário, invade a área e enche o pé para abrir o placar.

O restante da etapa complementar foi de domínio Verde demonstrando muita maturidade e controle emocional. É visível o entrosamento da equipe, apesar de algumas peças novas.

Com a terceira vitória seguida o Palmeiras vai a 10 pontos e dispara na liderança do Grupo B do campeonato.

Jogo válido pela 4ª rodada do Paulistão 2019.

FICHA TÉCNICA

Local: Arena Barueri, Barueri (SP)
Data: 30/01/2019, quarta-feira
Horário: 21h00 (de Brasília)
Árbitro: Salim Fende Chavez
Assistentes: Neuza Ines Back e Evandro de Melo Lima
Público: –
Renda: –
Cartões amarelos: Kanu, Cicinho, Matheus Jesus e Alyson (OES); Raphael Veiga e Thiago Santos (PAL)
Gol: Felipe Pires, aos 17 segundos do segundo tempo

Oeste: Matheus Cavichiolli; Cicinho, Kanu, Maracás, Alyson; Matheus Jesus, Betinho; Roberto, Elvis (Gabriel Vasconcelos), Mazinho; Bruno Lopes (Jheimy)
Técnico: Renan Freitas

Palmeiras: Weverton; Marcos Rocha, Antônio Carlos, Edu Dracena e Victor Luís; Thiago Santos, Moisés (Bruno Henrique), Raphael Veiga (Lucas Lima); Dudu (Gustavo Scarpa), Felipe Pires e Deyverson
Técnico: Felipão

Gol, jogo completoPTD, ESPN,  Lancenet!Globo EsporteTerra EsportesEstadao.

PALMEIRAS X OESTE: RETROSPECTO DE JOGOS
O Palmeiras leva ampla vantagem em jogos contra o Oeste. Em dez partidas disputadas entre as equipes ao longo da história, são cinco triunfos alviverdes, quatro empates e uma única derrota palmeirense (15 GP x 6 GC). Considerando apenas duelos válidos pelo Campeonato Paulista, foram sete embates: três vitórias e quatro empates (8 GP x 4 GC).

Palmeiras supera Oeste na Arena Barueri e chega a sua terceira vitória no Estadual

Bruno Alexandre Elias
Departamento de Comunicação

O Palmeiras bateu o Oeste na Arena Barueri, na noite desta quarta-feira (30), por 1 a 0 – gol de Felipe Pires com menos de 20 segundos de bola rolando no segundo tempo. Com o resultado, o Alviverde chegou ao seu 13º duelo invicto no retrospecto geral (não perde desde 24/10/2018, contra o Boca Juniors-ARG, pela Libertadores), superando as 12 partidas sem derrota obtidas em 2013; portanto, o Verdão chegou a sua melhor série sem reveses nos últimos seis anos.

A próxima marca de invencibilidade a ser atingida foi registrada entre 2011 e 2012, quando o grupo palmeirense – curiosamente também sob o comando de Felipão à época – ficou por 22 embates sem ser derrotado (14 vitórias e oito empates).

A invencibilidade esmeraldina se destaca também nesta edição do Campeonato Paulista. Dos 16 times que disputam o Estadual, apenas três seguem sem saber o que é perder no torneio, e o Verdão pertence a este seleto grupo. As outras equipes que ainda não foram batidas são o Santos e o Bragantino.

O triunfo, de quebra, fez com que o Palmeiras melhorasse ainda mais sua vantagem no histórico de jogos contra o Oeste. Em 11 partidas disputadas entre , foram seis vitórias alviverdes, quatro empates e uma única derrota palmeirense (16 GP x 6 GC). Considerando apenas duelos válidos pelo Campeonato Paulista, este foi o oitavo embate: quatro vitórias e quatro empates (9 GP x 4 GC).

Palco do duelo contra o Oeste, a Arena Barueri já recebeu 27 jogos do Verdão. O saldo atualizado é extremamente favorável ao Maior Campeão do Brasil. Foram 16 vitórias, sete empates e apenas quatro derrotas, com 48 gols marcados e 22 sofridos. Antes do duelo desta quarta (30), o Palmeiras só havia atuado na arena como visitante em duas ocasiões: em 2008, pelo Campeonato Paulista (vitória por 3 a 0) e em 2009, pelo Campeonato Brasileiro (empate por 2 a 2) – vale lembrar que, em ambas as oportunidades, o adversário mandante foi o Grêmio Barueri.

Já nos aspectos individuais, alguns jogadores tiveram algo a mais a comemorar além da vitória: são os casos do zagueiro Antônio Carlos e do atacante Deyverson – ambos completaram 65 jogos com a camisa do Palmeiras. Os jogadores, aliás, têm no currículo a conquista do Campeonato Brasileiro de 2018 pelo Verdão.

O grande contemplado da noite, entretanto, foi Felipe Pires. Novato no Alviverde, o atacante fez apenas sua terceira partida pelo clube e já mostrou ser oportunista, deixando sua marca com menos de 20 segundos de bola rolando após o início do segundo tempo. O jogador de 23 anos, que pertence ao Hoffenheim, da Alemanha, tem contrato de empréstimo com o Palmeiras válido por uma temporada.

O duelo desta noite também ficou marcado por reencontros. Dos jogadores que estiveram em campo, o goleiro Weverton e o zagueiro Antônio Carlos já defenderam as cores do Oeste outrora. Já pelo lado do time adversário, o lateral Cicinho e o meia Mazinho – ambos campeões da Copa do Brasil pelo Verdão em 2012 – atuaram pela equipe rubro-negra.

E quando o assunto é reencontro, Felipão não pode ficar de fora: ele pôde rever a Arena Barueri, palco de memoráveis partidas em que dirigiu o Palmeiras. Treinador do clube entre 2010 e 2012, Luiz Felipe Scolari não pôde contar com o antigo Estádio Palestra Italia para mandar os jogos da equipe naquela oportunidade – a casa palestrina passava por reforma que daria origem ao moderno Allianz Parque, inaugurado com a atual configuração em 2014. E uma das opções à época (além do Pacaembu) era justamente a Arena Barueri: no estádio, já considerando este duelo frente o Oeste, o treinador palmeirense dirigiu o time em 19 oportunidades, obtendo 11 vitórias, quatro empates e quatro derrotas.

Para Felipão, o local do jogo de hoje ficou marcado por ter comandado a equipe palestrina nos jogos decisivos do título da Copa do Brasil de 2012 – o estádio foi palco das classificações sobre o Paraná Clube (oitavas de final), o Atlético-PR (quartas de final) e o Grêmio (semifinal); além disso, foi lá que a conquista da taça foi encaminhada, contra o Coritiba, quando o Alviverde superou o rival paranaense por 2 a 0 (gols de Valdivia e Thiago Heleno); na finalíssima, no Estádio Couto Pereira, o empate por 1 a 1 (gol de Betinho para o Verdão) foi suficiente para selar a conquista.

Nesta sua terceira passagem pelo Verdão, a partir de 2018, o técnico palestrino acumula 34 partidas: são 23 vitórias, oito empates e três derrotas. Incluindo também suas duas passagens anteriores (de 1997 a 2000 e, depois, de 2010 a 2012), o treinador dirigiu a equipe, ao todo, em 442 ocasiões (215V, 119E e 108E) – apenas Oswaldo Brandão, com 585 jogos, comandou o Alviverde mais vezes ao longo da história.

O Palmeiras volta a campo no próximo sábado (02), às 17h, para enfrentar o rival Corinthians, pela quinta rodada do Campeonato Paulista, no Allianz Parque. Em seguida, novamente em casa – pela sexta rodada do Estadual –, o Maior Campeão do Brasil recebe o Bragantino no dia 11/02 (segunda-feira), às 20h.

O jogo

O Palmeiras entrou em campo mostrando pleno domínio de suas funções táticas desde os primeiros minutos de jogo. No primeiro tempo, apesar de o placar ter passado em branco, o Alviverde se mostrou superior também na técnica.

Em alguns momentos o duelo ganhou uma conotação mais truncada por parte de jogadores do Oeste, que entravam nos lances com excesso de força e inclusive com algumas jogadas violentas – uma delas em Edu Dracena, por parte do jogador Kanu, que levantou o pé na altura do abdome do zagueiro alviverde, causando hematoma – o lance gerou reclamação por parte de jogadores palmeirenses, mas passou batido pela arbitragem.

Apesar de alguns excessos do time mandante, o Palmeiras manteve um ótimo nível de futebol apresentado. No segundo tempo, um gol-relâmpago incendiou a partida: com menos de 20 segundos de bola rolando, o atacante Felipe Pires balançou as redes rubro-negras após aproveitar chutão do zagueiro Edu Dracena, do meio de campo, em direção à grande área – ele disparou em velocidade invadindo a meta do Oeste e finalizou de pé direito, com muita força. (Oeste 0x1 Palmeiras)

O Oeste chegou a crescer na partida em alguns momentos, como quando enfiou uma bola na trave de Weverton, com Kanu, aos nove minutos da etapa derradeira. Apesar do susto, o time de Felipão mostrou estabilidade emocional e controle de jogo e, imediatamente, voltou a dominar as ações do prélio, sem dar muito espaço para o jogo do adversário.

No decorrer da segunda etapa, entraram Lucas Lima na vaga de Raphael Veiga, aos 20, e Bruno Henrique no lugar de Moisés, aos 29 – vale lembrar que Gustavo Scarpa já havia substituído Dudu na volta do intervalo.

Palmeiras: Weverton; Marcos Rocha, Antônio Carlos, Edu Dracena e Victor Luis; Thiago Santos, Moisés (Bruno Henrique, aos 29’/2ºT) e Raphael Veiga (Lucas Lima, aos 20’/2ºT); Felipe Pires, Dudu (Gustavo Scarpa, no intervalo) e Deyverson. Técnico: Luiz Felipe Scolari.

Gol: Felipe Pires (1’/2ºT) (0-1)

Cartões amarelos: Thiago Santos e Raphael Veiga

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.