Twitter RSS
Close

Palmeiras 0 x 1 Cerro Porteño (PAR) – 30/08/2018

29441098857_516f80c2ed_o
Crédito: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação

Com a boa vantagem conquistada no jogo de ida, o esperado era que a classificação viesse sem riscos.

Com 3′ Felipe Melo deu contornos de drama a partida ao dar uma entrada forte no adversário e ser expulso. Com 10 em campo o Verdão lutou contra a pressão, sem muita objetividade do Cerro, e tentava armar contra-ataques.

No início do segundo tempo o gol (quase surreal) adversário aumentou o nervosismo Palestrino. O Palmeiras era defesa total contra as articulações paraguaias. No final da partida uma pequena confusão e um expulso de cada lado.

Mesmo com a derrota o Palestra classificou-se para às quartas de final para enfrentar o Colo Colo do Chile com Valdívia e Barrios.

Jogo de volta válido pelas oitavas de final da Libertadores 2018.

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 0 X 1 CERRO PORTEÑO-PAR

LOCAL: Allianz Parque, São Paulo (SP)
DATA-HORA: 30/08/2018 – 21h45
ÁRBITRO: Germán Delfino (ARG)
ASSISTENTES: Hernan Maidana (ARG) e Gabriel Chade (ARG)
PÚBLICO/RENDA: 33.204 pagantes/R$ 2.913.369,38
CARTÕES AMARELOS: Edu Dracena (PAL), Palau, Escobar, Novick, Jorge Rojas e Churín (CER)
CARTÕES VERMELHOS: Felipe Melo, aos 3’/1ºT e Deyverson, aos 48’/2ºT (PAL), Marcos Cáceres, aos 48’/2ºT (CER)
GOLS: Arzamendia (11’/2ºT) (0-1),

PALMEIRAS: Weverton; Mayke, Antônio Carlos, Edu Dracena e Diogo Barbosa; Felipe Melo, Bruno Henrique e Moisés (Jean, aos 36’/2ºT); Willian (Deyverson, aos 30’/2ºT), Dudu e Borja (Thiago Santos, aos 16’/2ºT). TÉCNICO: Luiz Felipe Scolari.

CERRO PORTEÑO: Antony Silva; Raúl Cáceres, Marcos Cáceres, Escobar e Arzamendia; Victor Cáceres (Haedo Valdez, no intervalo), Palau e Rodrigo Rojas (Novick, aos 6’/2ºT); Óscar Ruíz, Jorge Rojas (Benítez, aos 22’/2ºT) e Churín. TÉCNICO: Fernando Jubero.

Melhores momentos, PTD, Lancenet!Globo EsporteTerra EsportesEstadaoFolha Online.

PALMEIRAS X CERRO PORTEÑO: RETROSPECTO GERAL DE PARTIDAS
O duelo entre Palmeiras e Cerro Porteño-PAR, na próxima quinta-feira (30), no Allianz Parque, será o 11º encontro entre as duas equipes ao longo da história. Nos dez jogos já disputados, o Verdão possui ampla vantagem no retrospecto ante o rival paraguaio, com cinco vitórias contra uma única derrota – além de outros quatro empates (24 gols marcados e dez sofridos).

PALMEIRAS X CERRO PORTEÑO: RETROSPECTO DE PARTIDAS NA LIBERTADORES
Antes de 2018, os caminhos de Palmeiras e Cerro Porteño-PAR já haviam se cruzado outras quatro edições de Libertadores: 1999, 2001, 2005 e 2006 (todas as partidas disputadas pelos dois clubes nesses anos foram válidas pela fase de grupos, com jogos de ida e volta). Já considerando a edição atual, são, no total, nove partidas contra o rival paraguaio no mais importante torneio das Américas, com quatro vitórias alviverdes, quatro empates e um revés.

PALMEIRAS X CERRO PORTEÑO: RETROSPECTO DE PARTIDAS NO PALESTRA ITALIA / ALLIANZ PARQUE
Se computados apenas os jogos disputados no Palestra Italia (que desde 2014 figura como Allianz Parque), palco do encontro da partida desta quinta-feira (30), são quatro jogos disputados, com duas vitórias palmeirenses, um empate e uma vitória da equipe do país vizinho. Em seus domínios, o Verdão balançou as redes adversárias nove vezes e foi vazado em seis oportunidades.

Felipe Melo é expulso com 3 minutos, Verdão perde para o Cerro mas avança na Libertadores

Palmeiras sofre o jogo todo, vê Weverton ser vazado após 9 partidas mas consegue segurar o 0 a 1 e se classifica.

O jogo começou com o Palmeiras e os mais de 33 mil torcedores presentes ao Allianz Parque sendo surpreendidos, mas não por um gol do Cerro, e sim pela expulsão de Felipe Melo, que deixou o pé em Victor Cáceres após uma dividida no meio-campo. Inicialmente o árbitro mostrou apenas cartão amarelo ao camisa 30, mas depois, ao ver o “estrago” na perna do paraguaio, mostrou corretamente o vermelho.

Sem seu principal marcador, Felipão optou por recuar Moisés, mas automaticamente todo time recuou junto. Com quase 70% de posse de bola, o Cerro passou a rondar a área alviverde, mas sem conseguir infiltrar. Aos 17 minutos Escobar arriscou de longe, Weverton deu rebote e Edu Dracena afastou o perigo.

Aos 26 minutos Diogo Barbosa roubou a bola no campo de defesa e avançou até o ataque, fazendo o passe para Willian, que mesmo dentro da área e livre de marcação, tentou a assistência para Borja ao invés de concluir, matando a jogada. Aos 29 Borja recebeu de Dudu e também avançou em velocidade; quando entrou na área ele tocou para Willian, que parou em ótima defesa de Antony Silva.

Depois do Palmeiras perder as melhores chances do jogo até então, o Cerro respondeu. Aos 34 minutos Victor Cáceres deixou Bruno Henrique no chão e cruzou para Ruíz chutar torto, à esquerda de Weverton. Aos 38 Churín escorou uma cruzamento da esquerda nas mãos do goleiro Palmeirense. Aos 45 Ruíz experimentou da entrada da área, cruzado, para fora. Pouco depois o árbitro encerrou a etapa inicial.

O segundo tempo também começou com um susto, mas para todos presentes ao estádio: logo aos 2 minutos Borja e Rodrigo Rojas literalmente bateram cabeça e o jogador do Cerro deixou a arena de ambulância. Aos 10 minutos Dudu cobrou falta e Edu Dracena desviou nas mãos do goleiro.

Em seu primeiro ataque na etapa final os visitantes abriram o placar. Aos 11 minutos Arzamendia tentou um cruzamento, Weverton se posicionou para cortar e não percebeu que a bola ganhou efeito para dentro da meta: 1 a 0. O gol do Cerro fez Felipão mudar o time: aos 16 minutos Borja deu lugar a Thiago Santos.

Com a marcação reforçada, o Palmeiras manteve a postura de atacar apenas na boa, ou seja, a bola seguiu com o Cerro. Aos 21 minutos Palau chutou cruzado, para fora. Aos 22 Weverton cobrou um tiro de meta que morreu no peito de Willian; o atacante dominou, soltou uma bomba de canhota e só não correu para o abraço porque Antony Silva fez milagre.

A chance perdida por Willian foi isolada. Logo o Cerro voltou a ditar o ritmo da partida. Aos 30 minutos Arzamendia cruzou para Ruíz dominar na área e bater com perigo, para fora. Aos 31 Churín foi lançado nas costas de Edu Dracena e Weverton saiu bem do gol para afastar o perigo. Pouco antes Felipão já havia promovido a segunda mexida: Willian por Deyverson.

Aos 35 minutos Moisés alegou cansaço e deu lugar a Jean. Aos 39, após cruzamento da direita, Valdez escorou fraco de cabeça, para fora. Aos 40, em jogada parecida, Ruíz dominou na área e fuzilou, mas Weverton estava atento e fez boa defesa.

Em função do atendimento médico no começo do segundo tempo, o árbitro deu 8 minutos de acréscimo. Aos 48, após sofrer uma falta no campo de ataque, Deyverson saiu inflamando a torcida e Cáceres não gostou – atirou uma bola em direção ao atacante; após mais uma confusão, os dois acabaram expulsos.

Com mais 3 minutos a jogar, o Verdão enfim conseguiu manter o Cerro distante da sua meta e garantiu a dramática classificação às quartas de final da Libertadores. O adversário será o Colo-Colo.

Domingo (02/09) o Verdão visita a Chapecoense pela 22ª rodada do Brasileirão. O jogo será disputado às 19h.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.