Twitter RSS
Close

Atlético/GO 1 x 3 Palmeiras – 15/10/2017

37672324396_a757d2347c_o
Crédito: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação

Após os frustrantes resultados das últimas 2 rodadas e da saída do técnico Cuca, só uma vitória garantiria que o caos não se instaurasse nos bastidores Palestrinos. E ela veio de forma bastante natural.

Foi um jogo bastante consistente. Domínio total do adversário. Fizemos 2 no primeiro tempo e ampliamos no segundo. No último quarto de jogo o Atlético descontou de pênalti.

A vitória nos deixa na 4ª colocação da tabela a 11 pontos do líder.

Jogo válido pela 28ª rodada do Brasileirão 2017.

Gols, melhores momentos.

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO-GO 1 X 3 PALMEIRAS

LOCAL: Olímpico Pedro Ludovico, Goiânia (SP)
DATA-HORA: 15/10/2017 – 16h
ÁRBITRO: Rodolpho Toski Marques (Fifa-PR)
AUXILIARES: Rafael Trombeta (PR) e Victor Hugo Imazu dos Santos (PR)
PÚBLICO/RENDA: Não disponíveis
CARTÕES AMARELOS: Gilvan (AGO) e Dudu (PAL)
CARTÕES VERMELHOS: William Alves (35’/2ºT)
GOLS: Willian (20’/1ºT) (0-1), Moisés (43’/1ºT) (0-2), Dudu (14’/2ºT) (0-3), Walter (31’/2ºT) (1-3),

ATLÉTICO-GO: Marcos; Jonathan, Gilvan, William Alves e Bruno Pacheco; Ronaldo, Paulinho (André Castro, aos 25’/2ºT), Andrigo, Jorginho (Eduardo Bauermann, aos 36’/2ºT) e Luiz Fernando (Niltinho, aos 13’/2ºT); Walter. TÉCNICO: João Paulo Sanches.

PALMEIRAS: Fernando Prass; Mayke, Edu Dracena, Juninho e Egídio; Tchê Tchê, Bruno Henrique e Moisés (Thiago Santos, aos 20’/2ºT); Keno (Erik, aos 17’/2ºT), Dudu e Willian (Borja, aos 32’/2ºT). TÉCNICO: Alberto Valentim.

PÓS-JOGO

Verdazzo

Jogando de forma bem simples, contra um adversário que pouco exigiu, o Verdão fez um jogo muito acima do esperado e venceu o CAG por 3 a 1 em Goiânia, e voltou ao G4 do Brasileirão. Ainda sem conhecer o futuro com relação ao técnico, o time se prepara agora para receber a Ponte Preta no Pacaembu, na quinta-feira.

PRIMEIRO TEMPO

Alberto Valentim posicionou o time da mesma forma que Cuca vinha fazendo, mas com algumas alterações de ordem técnica: Keno ganhou a vaga, jogando pela esquerda, com Dudu caindo para a direita. Willian Bigode voltou a ser o homem de referência na frente, e Bruno Henrique desbancou Jean – Felipe Melo segue esperando a vez.

Aos quatro minutos, Jonathan pecebeu a defesa do Palmeiras bem postada e decidiu arriscar de fora; o chute foi muito bom e obrigou Fernando Prass a fazer a primeira defesa do jogo. Um minuto depois, a primeira grande chance do Verdão: Moisés bateu falta no meio do campo com rapidez e esticou a bola para Willian Bigode, que conseguiu chegar à área mas acabou desarmado por Willian Alves no último momento, quando se preparava para fazer o gol.

Como já era de se esperar, o time do Palmeiras aparentava uma certa falta de personalidade em campo. Alberto Valentim tentou provocar o time, invertendo Keno com Dudu, que voltou para o lado esquerdo. Aos 17, Egídio bateu uma falta frontal, de longe, nas mãos de Marcos.

Aos 20, Willian foi acionado e deu um lindo tapa na bola, colocando Keno pra correr pelo lado direito; ele ganhou de Gilvan e entrou na área; Willian fechou pelo meio, recebeu a bola rolada e escorou para o gol. Na jogada, Dudu chegava na velocidade e ia trombar com Jonathan – colocou as mãos nas costas do marcador e o empurrou, fazendo falta que a arbitragem não marcou. A arbitragem validou o gol.

Aos 23, Mayke tentou cruzar mas a bola fez a curva errada e foi em direção ao gol – Marcos colocou em escanteio. Na cobrança, Edu Dracena chegou bem para o cabececeio, mas a bola saiu por cima. O Atlético respondeu aos 27, Walter fez boa jogada e enfiou para Andrigo dentro da área; o meia do time da casa dominou e girou para bater forte, exigindo boa defesa de Fernando Prass, que rebateu para o lado.

Atrás no placar, o Atlético lançou-se à frente e ganhou o meio-campo, aproveitando a timidez da dupla de volantes, e a bola passou a ficar por um momento mais no pé do time da casa, comandado pelo bom meia Luiz Fernando.

Mas aos 40, Willian Bigode começou a jogada numa roubada de bola no meio do campo; Keno foi acionado, driblou Bruno Pacheco e disparou; ele correu tanto que até passou da bola – parou, olhou e viu Moisés bem colocado, e colocou o pé embaixo da bola para fazer um passe por elevação magnífico. Com a bola pingando, à sua mercê, Moisés bateu de trivela no canto direito de Marcos, que não teve chances. Um golaço. Após os 2 a 0, os times se recolheram esperando pelo segundo tempo, diante do fortíssimo calor que fazia em Goiânia.

SEGUNDO TEMPO

A primeira chance do segundo tempo foi do Verdão, aos quatro: Willian foi lançado em velocidade e tocou dentro da área para Keno, que balançou o corpo e buscou o canto direito de Marcos, mas a bola desviou de leve em Ronaldo e foi a escanteio. Após a cobrança, uma enorme confusão na área e a bola sobrou para Willian, que tentou colocar a bola no cantinho direito, mas errou por pouco.

Aos 14, Willian Bigode começou a jogada pela direita e tocou para Keno, que viu Dudu fechando pela esquerda e cruzou na cabeça do capitão, que só teve o trabalho de escorar para dentro e fazer o terceiro do Verdão. Keno sentiu o posterior da coxa esquerda no lance e deu lugar a Erik.

Aos 18, Walter enfiou um canudo de fora da área e obrigou Fernando Prass a espalmar para a frente. Pouco depois, Thiago Santos entrou no lugar de Moisés, cansado. Com a mexida, Tchê Tchê virou o meia armador. Na seqüência, Walter recebeu lançamento dentro da área e mesmo com pouco ângulo arriscou para o gol – a bola foi desviada por Edu Dracena.

O CAG dava espaços e aos 24 Thiago Santos achou Dudu aberto pela esquerda; o camisa 7 cruzou no segundo pau e achou Willian bem colocado – ele escorou buscando o canto esquerdo de Marcos, mas errou por muito pouco.

Aos 30, Jorginho protegeu uma bola dentro da área e Mayke estava na passada e não conseguiu recolher, fazendo o pênalti. Waltão bateu de cavadinha e iludiu Prass, que foi para o canto direito. Na saída, Borja foi mandado a campo no lugar de Willian.

Com o gol, o CAG veio todo pra cima e deixou espaços para o Verdão, deixando o jogo bastante aberto. Aos 35, Tchê Tchê roubou uma bola no meio e lançou Thiago Santos, que se projetou; Willian Alves fez a falta e levou o segundo amarelo, e em seguida o vermelho. Dudu bateu a falta, Marcos soltou e pegou de novo – quase o quarto gol.

Aos 44, Thiago Santos arriscou de fora; a bola bateu no calcanhar de Borja e sobrou pingando para Dudu, que bateu forte, no canto esquerdo de Marcos, que foi buscar. Aos 46, Dudu acionou Borja dentro da área, ele girou em cima de Gilvan e bateu forte, exigindo mais uma defesa de Marcos. Pouco depois, o juiz encerrou o jogo.

FIM DE JOGO

Foi uma vitória bastante natural. Jogando solto, o time aproveitou bem o espaço do lado esquerdo da defesa do CAG e Keno mostrou que poderia ter sido mais utilizado por Cuca. Jogando mais postado e marcando 100% por zona, o time se desgastou menos, o que foi importante diante do forte calor.

Já foi possível ver algumas mudanças, que podem ser interpretadas como as primeiras reivindicações dos atletas que foram atendidas. Willian voltou ao comando do ataque e Bruno Henrique ganhou força. Resta saber se Alberto Valentim terá chances de seguir em frente ou se a diretoria vai trazer o comandante que espera para 2018 logo. De qualquer forma, fica o alívio por reencontrar a vitória e restabelecer a confiança, que iria completamente para o brejo em caso de um resultado ruim. VAMOS PALMEIRAS!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.