Twitter RSS
Close

Palmeiras 0 x 1 Atlético/MG – 27/08/2014

cristaldotristemiguelschincariolal
Foto: Miguel Schincariol / Agência Lance

Um dia após completar 100 anos abrimos o segundo centenário com uma derrota.

Jogando pela Copa do Brasil recebemos o Atlético com um time alternativo e vários reservas em campo. Não deu outra. Se o time completo já tem dificuldade para vencer, imagina desfalcado. Nem vou comentar do pênalti perdido por Henrique.

A derrota deixam as chances de classificação para as quartas quase nulas, já que teremos que vencer em Minas. O negócio é focar no Brasileirão e fugir de mais um vergonhoso rebaixamento.

Jogo de ida válido pelas oitavas de final da Copa do Brasil 2014.

Gol, melhores momentos.

FICHA TÉCNICA

Local: Pacaembu, São Paulo (SP)
Data: 27/08/2014, quarta-feira
Horário: 22h (de Brasília)
Público: 18.396 pagantes
Renda:
Árbitro: Jean Pierre Goncalves Lima (RS)
Assistentes: Rafael da Silva Alves (RS) e Jose Javel Silveira (RS)
Cartões Amarelos: Mendieta (Palmeiras), Alex Silva, Rafael Carioca, Jemerson, Pedro Botelho e Josué (Atlético-MG)
Gol: Luan, aos 25 minutos do segundo tempo

Palmeiras: Fábio; Weldier, Lúcio, Victorino e Victor Luis; Renato (Felipe Menezes) e Marcelo Oliveira; Diogo, Mendieta e Mazinho (Cristaldo); Henrique (Mouche)
Técnico: Ricardo Gareca

Atlético-MG: Victor; Alex Silva, Leonardo Silva, Jemerson e Pedro Botelho; Rafael Carioca (Luan), Josué, Maicosuel (Marion) e Dátolo; Diego Tardelli e Jô (André)
Técnico: Levir Culpi

Por Eduardo Luiz, da Redação PTD – 27/08/2014 – 23:53h.
Palmeiras perde e se complica na Copa do Brasil
Com direito a pênalti perdido por Henrique, mistão é derrotado pelo Atlético-MG por 1 a 0 em pleno Pacaembu.

Cheio de reservas, o Verdão começou o jogo tentando pressionar o Atlético-MG. Aos 2 minutos Diogo arriscou de longe, por cima. O domínio alviverde durou 5 minutos, tempo necessário que o rival precisou para contra-atacar e equilibrar a partida. O susto veio com Pedro Botelho num chute que passou perto, após bom passe de Diego Tardelli.

Já mais perigoso em campo, o Atlético-MG só não abriu o placar aos 11 graças a um milagre de Fábio; Lúcio vacilou, Maicossuel tocou para Tardelli finalizar e parar numa defesa incrível do goleiro Palmeirense. O Palmeiras só foi reagir aos 18 minutos, quando Mazinho experimentou da entrada da área, sem direção.

Aos 21 minutos foi a vez de Victor Luis arriscar um chute de longe, e dessa vez a bola não subiu tanto, mas não assustou Victor. Bem marcado e sem criação, restava ao time do técnico Ricardo Gareca os arremates. Aos 27 Welder também tentou, e a exemplo dos companheiros, errou o alvo.

Mesmo sem ser superior, o Atlético-MG chegava com mais perigo. Aos 29 minutos a bola sobrou para Pedro Botelho bater já de dentro da área, mas novamente Fábio evitou o gol. O camisa 47 do Verdão volaria a ser decisivo aos 41, após outro vacilo do sistema defensivo; Victorino perdeu na corrida para Jô, Lúcio não o cobriu e o atacante finalizou, mas Fábio defendeu com as pernas.

O empate parecia o resultado final do primeiro tempo quando em uma rara bola enfiada do meio-campo Palmeirense Mazinho foi derrubado por Jemerson dentro da área, pênalti assinalado e convertido por Henrique, mas o árbitro mandou voltar alegando invasão, e na segunda cobrança o atacante chutou para fora, para desespero do bom público presente ao Pacaembu.

Os dois times voltaram para a etapa final sem alterações, o que fez com que o panorama da partida não mudasse. Esbarrando na falta de qualidade técnica, o Palmeiras tentava algo na base da vontade, enquanto que o Atlético, quando conseguia tocar a bola, impunha certa dificuldade ao sistema de marcação alviverde.

Aos 2 minutos Welder cruzou na cabeça de Mendieta, que escorou para fora. Aos 6 Dátolo cobrou falta e Leonardo Silva surgiu livre para desviar e parar em mais uma boa defesa de Fábio. Aos 12, após jogada confusa, Maicossuel tocou para Jô finalizar mas ser travado por Renato.

Precisou de 14 minutos para Gareca promover a primeira mudança: Cristaldo substituiu Mazinho, mas os problemas persistiram pois o time seguiu sem poder de criação, já que Mendieta era nulo. Aos 17 coube a Marcelo Oliveira tentar algo, mas o chute do volante, após ajeitada de Diogo, saiu completamente torto.

Não bastasse o time estar mal, aos 25 minutos Renato ainda ajudou o Atlético ao perder bola dominada no meio-campo e armar contra-ataque fatal para o rival; Maicossuel carregou a bola pela esquerda e cruzou na cabeça do baixinho Luan: 1 a 0. Dessa vez Fábio nada pôde fazer.

Pouco antes do gol Gareca tinha trocado Henrique por Mouche, e logo depois ele queimou a última alteração: Felipe Menezes substituiu Renato. Mesmo com um time em tese mais ofensivo, o Palmeiras só foi incomodar a meta de Victor nos acréscimos, em duas oportunidades que o goleiro apareceu bem, uma com Mouche e outra com Felipe Menezes. Mas foi só.

Na partida de volta, marcada para quarta-feira que vem, o Verdão precisará ao menos tentar devolver o placar para levar a decisão da vaga nas quartas de final da Copa do Brasil para os pênaltis.

Sábado (30/08) o Palmeiras volta ao Pacaembu para enfrentar o Internacional. O jogo, válido pela décima oitava rodada do Brasileirão, será às 18h30.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.