Twitter RSS
Close

Vasco 1 x 0 Palmeiras – 14/08/2011

Kléber e Jumar disputam a bola. Foto: Folha de SP.

O Verdão soube se proteger bem das bolas aéreas e cortou com perfeição quase todos os cruzamentos de Juninho. Mais povoado, o ataque também ganhou volume, e assim o  criou mais chances do que os donos da casa.

Mesmo jogando melhor do que na quinta-feira, o Palestra sofreu com o excesso de oportunidades perdidas e acabou castigado na bola parada de Bernardo.

O time de Luiz Felipe Scolari segue com 27 pontos, na sexta posição, mas agora mais distante dos ponteiros do Brasileirão.

Jogo válido pela 16ª rodada do Brasileirão 2011.

FICHA TÉCNICA:
VASCO 1 X 0 PALMEIRAS

Local: Estádio São Januário, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 14 de agosto de 2011, domingo
Horário: 16 horas (de Brasília)
Árbitro: Márcio Chagas da Silva (RS)
Assistentes: José Chaves Franco Filho e José Eduardo Calza (ambos de RS)
Cartões Amarelos: Renato Silva, Victor Ramos, Julinho e Fagner (Vasco); Luan, Cicinho, Dinei e Henrique (Palmeiras)
Gol:
Vasco:
Bernardo, aos 35 minutos do segundo tempo

VASCO: Fernando Prass; Fagner, Renato Silva, Anderson Martins e Julinho; Rômulo, Jumar, Juninho Pernambucano (Leandro) e Felipe (Victor Ramos); Éder Luís (Bernardo) e Elton
Técnico: Ricardo Gomes

PALMEIRAS: Deola; Cicinho, Thiago Heleno, Henrique e Gerley; Márcio Araújo (Vinicius), Chico e Valdivia; Luan (Maikon Leite), Kleber e Dinei (Patrik)
Técnico: Luiz Felipe Scolari

ESPN, Globo EsporteTerra Esportes, Estadao, Folha Online.

Vasco vence Palmeiras, fica no G-4 e agrava mau momento do rival

ESPN.com.br com Agência Gazeta Press

No segundo jogo de uma maratona de três contra o Palmeiras, o Vasco voltou a vencer o rival. Com um gol de Bernardo, em cobrança de falta, a equipe carioca bateu o adversário por 1 a 0, em São Januário, pela 16ª rodada do Brasileiro. O resultado manteve o Vasco no G-4, ocupando a quarta colocação na tabela.

A partida foi a segunda da série de duelos entre os dois clubes. Na quinta-feira, pela Copa Sul-Americana, o Vasco venceu por 2 a 0.

Na próxima rodada, quarta-feira, os vascaínos visitam o Avaí na Ressacada, enquanto os paulistas recebem o Bahia, no Canindé.

O jogo

A partida começou sem muita movimentação, assim como o duelo de quinta-feira, mas com o Palmeiras apresentando mais perigo na frente, principalmente nas chegadas pela esquerda com o apoio de Gerley e Luan. As boas chances, no entanto, só saiam quando Valdivia ou Kleber tinham espaço para pensar nas jogadas.Na primeira delas, o chileno se aproveitou de vacilo de Renato Silva, que explodiu a bola nas costas de Dinei ao tentar afastar, e ficou cara a cara com Fernando Prass. Na hora do chute, porém, ele chutou muito forte e viu a redonda subir, desperdiçando o lance, aos 15 minutos de bola rolando.

Cinco minutos depois, o meia serviu boa bola para Luan, que cruzou fechado para Dinei. O centroavante chegou dividindo e a bola ficou viva na pequena área, mas ninguém apareceu para concluir em gol. Enquanto isso, os anfitriões viviam das perigosas bolas paradas, principalmente dos pés de Juninho Pernambucano.

Na mais perigosa delas, ele bateu fechado, no ângulo direito de Deola, que foi de soco para afastar. Mas a melhor oportunidade veio mesmo do lado palmeirense. E como não poderia ser diferente, dos pés de Valdivia para Kleber, que driblou Fernando Prass, mas demorou um pouco para bater e acertou a zaga. Na sobra, Dinei ainda tentou completar de carrinho, mas Anderson Martins, embaixo da trave, salvou o Vasco.

Na segunda etapa, os paulistas novamente se postaram à frente, e quase marcaram com três minutos, quando Valdivia bateu escanteio e Chico carimbou o travessão de Fernando Prass. Na resposta do Vasco, aos 16, pela primeira vez uma bola trabalhada. Rômulo ganhou de Henrique, invadiu a área e bateu firme para boa defesa de Deola.

Logo depois, o tempo esquentou. Fagner fez falta dura em Luan e discutiu com o atacante. Cinco minutos depois, veio o troco do palmeirense, que também levou amarelo e bradou contra os adversários, que também reclamaram.

Voltando a jogar bola, o time do Vasco ameaçou em bom lance de Felipe, que achou Bernardo livre na área. O meia bateu cruzado e viu a bola passe rente à trave de Deola. Na resposta, o Palmeiras, novamente pelos pés de Valdivia, quase marcou. O chileno tocou para Cicinho, que cruzou na cabeça de Maikon Leite. Livre, ele desviou torto, para fora.

Quando tudo parecia se encaminhar para um empate sem gols, o Vasco descolou um gol por meio da mesma arma que usou o jogo inteiro: a bola parada. Mas dessa vez foi Bernardo que pegou a bola e bateu com categoria, no ângulo de Deola, que apenas observou.

O Palmeiras ainda lutou, tentou ameaçar em boas jogadas de Valdivia, mas não teve grandes chances. Na melhor delas, Vinicius, que havia acabado de entrar, não conseguiu dominar e entregou a bola nas mãos de Fernando Prass.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.