Twitter RSS
Close

Palmeiras de Todos os Tempos 6 x 6 Amigos do Zé – 13/01/2019

Amigos do Zé Roberto contra Palmeiras. Jogo de despedida do ex-jogador Zé Roberto, na arena Allianz Parque. Zé Roberto. Crédito: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação

Uma festa Gigante no Allianz Parque para despedida do vovô garoto Zé Roberto.

Apesar de ter pendurado as chuteiras ainda em 2017, Zé Roberto reuniu grandes ídolos Palmeirenses e amigos do círculo futebolístico para um jogo festivo comemorando sua carreira e aposentadoria.

Uma festa a altura de sua história com golaços dignos para presentear os mais de 20 mil torcedores presentes.

Zé Roberto se emociona em despedida oficial no Allianz Parque: ‘Experiência inesquecível’

Thiago Kimori
Departamento de Comunicação

O início deste domingo (13) foi especial para Zé Roberto e outros grandes nomes do futebol mundial. Longe dos gramados desde o fim de 2017, o agora assessor técnico do Palmeiras fez a sua despedida oficial como jogador de futebol, no Allianz Parque, reunindo diversos amigos e ídolos que vestiram a camisa do Verdão ao longo da história. Além da partida festiva, o encontro também contou com ações especiais para comemorar o decacampeonato brasileiro, conquistado em 2018, e teve a primeira aparição do novo uniforme da PUMA dentro da arena palestrina.

“Com certeza foi uma experiência inesquecível, onde tive o privilégio de fazer uma grande festa no clube que eu escolhi encerrar minha carreira, que foi o Palmeiras, reunindo grandes ídolos que eu tinha desde criança, quando iniciei a minha trajetória, como Dudu e Ademir da Guia, além de outros grandes personagens da história do Palmeiras que foram meus contemporâneos, como César Sampaio, Alex, Edmundo, Junior Baiano, Velloso e tantos outros. Enfim, hoje foi uma festa que, com certeza, marcou o fim da minha carreira, onde tive o privilégio de receber o carinho de todos os torcedores palmeirenses e poder deixar um grande legado”, declarou Zé Roberto após a partida.

Diversos ex-atletas estiveram presentes no evento, como Antônio Carlos, César Sampaio, Giovanni, Sávio, Seedorf, Alex, Rivaldo, Ademir da Guia e Edmundo, além dos treinadores Rubens Minelli e Vanderlei Luxemburgo. Minelli comandou o time montado com ídolos do Alviverde, já Luxemburgo esteve no banco da equipe formada pelos amigos do Zé. O amistoso terminou com empate por 6 a 6, sendo que Zé Roberto, o astro desta manhã, marcou duas vezes.

Euler, Alex Mineiro, Zé Roberto e Paulo Nunes (E/D). Crédito: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação

FICHA TÉCNICA

Local: Allianz Parque, São Paulo (SP)
Data: 13/01/2019, domingo
Horário: 10h00 (de Brasília)
Árbitro: Sálvio Espínola

Palmeiras de Todos os Tempos

Goleiros: Velloso e Sérgio
Laterais: Rubens Júnior, Cláudio Guadagno e Júnior
Zagueiros: Júnior Baiano, Roque Júnior, Tonhão e Antônio Carlos
Meias: César Sampaio, Galeano, Amaral, Pierre, Wendel, Alex, Marcos Assunção, Rivaldo e Ademir da Guia
Atacantes: César Maluco, Oséas, Paulo Nunes, Euller, Edmundo e Alex Mineiro
Treinador: Rubens Minelli

Amigos do Zé Roberto

Goleiros: Clemer, Carlos Germano e Fábio Costa
Laterais: Gabriel, Evanílson, Alberto Valentim, Gilberto e Kléber
Zagueiros: Aldair, Pedro Geromel e Edmílson
Meias: Tico, Lincoln, Giovanni, Elano, Rodrigo Fabri, D’Alessandro e Seedorf
Atacantes: Alberto, Túlio Maravilha
Treinador: Vanderlei Luxemburgo

Jogo completo, Fotos, Gols, bastidoresPTD, UOL, ESPN, globoesporte, Terra, Gazeta Esportiva, Estadão.

Palmeiras (1999) 5 x 3 Amigos do Alex – 28/03/2015

Alex e Paulo Nunes festejam gol do Palmeiras 99 na rena (Foto: Marcos Bezerra/Futura Press/Agência Estado)

Com grandes ídolos do Verdão em campo, Palmeiras de 99 vence Amigos do Alex

Departamento de Comunicação

Em dia de festa no Allianz Parque, o time do Palmeiras de 99 se reuniu para homenagear Alex na sua despedida com a camisa do Verdão. Em uma partida cheia de ídolos e craques, o alviverde venceu o time dos Amigos do Alex, que jogou de azul, pelo placar de 5 a 3, com dois gols do dono da festa, Alex, e um de Evair, Edmundo e Ademir da Guia. Histórico!

Em clima de festa, os dois times começaram no ataque, com belos lances para animar a torcida. A cada bom lance dos ídolos de 99, os torcedores comemoravam como se tivessem voltado 16 anos no tempo. Além do homenageado da noite, o jogador  mais festejado foi o goleiro Marcos, que só ficou 30 minutos em campo – foi substítuido por Velloso -, mas foi ovacionado toda vez que tocou na bola.

Roque Junior ganhava os aplausos da torcida a cada bola afastada. Edmundo, ainda no banco, também foi aplaudido quando apareceu no telão. Mas os lances mais bonitos pelo lado verde ficaram por conta de Paulo Nunes e, é  claro, Alex. Foi dos pés do camisa 10 que saiu a primeira chance do Palmeiras: com um passe milimétrico, ele achou Paulo Nunes dentro da área. O atacante bateu, quase caindo, e a bola ficou nas mãos do goleiro turco Rüstü.

No entanto, quem marcou primeiro foi o time de azul. O turco Tuncay fez dois gols para os visitantes, obrigando o Verdão a correr atrás do placar. E foi o homenageado quem comandou a reação: primeiro, para delírio da torcida, Alex deu uma caneta em Fabiano na entrada da área e sofreu falta, que ele mesmo cobrou, muito próximo ao travessão.

Depois com dois golaços, dignos de craque! No primeiro, ele recebeu na direita e bateu colocado, no ângulo, sem chances de defesa para o goleiro do time dos amigos. No segundo, Fabio Costa bobeou e o dono da festa não perdou, driblou Gilberto Silva e empurrou para o fundo do gol.

Antes do intervalo os Amigos do Alex ainda marcaram mais um, de pênalti, com o colombiano Aristizábal.

No intervalo, mais festa. O jornalista Mauro Beting entrevistou os dois maiores ídolos da história do Verdão, o Divino Ademir da Guia e São Marcos, que esbanjaram simpatia e bom humor, fazendo a alegria da torcida. Marcão, tomando um cafezinho, até brincou com a pergunta de Mauro, sobre a média de gols levados pelo arqueiro nos jogos comemorativos no Allianz Parque. O ídolo respondeu que, agora que está aposentado, acabou a pressão, “quem tem que se preocupar com isso é o Fernando Prass, eu estou de boa”.

Para o segundo tempo, o time de 99 voltou com Agnaldo, Edmundo e Evair. Com o dono da festa, Alex, o animal Edmundo e o matador Evair, o Verdão dominou o segundo tempo e foi em busca do empate. O ídolo Evair marcou, a torcida chegou a comemorar, mas, infelizmente, o bandeirinha marcou impedimento.

Mesmo assim, o matador deixou o seu logo em seguida. Euller deu um presente para Evair dentro da área, que marcou, empatou a partida e saiu para comemorar com a torcida na arquibancada do Allianz Parque, em um dos melhores momentos da noite.

Para completar a reação e virar para o Palmeiras, Edmundo recebeu de Evair e deixou o dele. A torcida fez a festa e comemorou com o icônico “Au, au, au, Edmundo é animal”. 4 a 3 para o Verdão!

Aos 28 minutos, a festa ficou completa: o Ademir da Guia entrou em campo, no lugar de Pedrinho. O Divino, assim como Alex, vestia a camisa 10, como não podia deixar de ser, deixando o Palestra com dois 10 em campo. Apesar da idade, o ídolo mostrou que ainda tem habilidade e foi ovacionado pela torcida.

E para terminar, um momento histórico: Evair foi derrubado dentro da área, o juíz marcou pênalti e Edmundo entregou a bola nas mãos de Ademir da Guia. O Divino bateu e marcou o quinto do Verdão, fechando a noite com chave de ouro.

Clique aqui e confira a galeria de fotos do jogo comemorativo entre o Palmeiras de 1999 e Amigos do Alex.

JOGO DE DESPEDIDA DE ALEX
FICHA TÉCNICA
Local: Allianz Parque, São Paulo (SP)
Data: 28/03/2015, sábado
Horário: 21h (de Brasília)
Árbitro: Sálvio Spínola
Público: 12.623 pagantes
Renda: R$ 660.697,50
Gols: Alex (2), Evair, Edmundo e Ademir da Guia (Palmeiras 1999); Tuncay (2) e Aristzabal (Amigos do Alex)
Amigos de Alex: Rustu (Fábio Costa) (Fernando); Maurinho, Gilberto Silva, Mozart (Marco Aurélio) e Sorin (Athirson); Paulo Miranda (Leonardo), Fabiano, Denilson (Tcheco) e Aristzabal (Marcelo Ramos); Amoroso e Tuncay (Djalminha)
Técnico: ZicoPalmeiras 1999: Marcos (Veloso) (Sérgio); Nenem, Roque Júnior (Agnaldo), Júnior Baiano (Cléber) e Júnior (Tiago Silva); Galeano, Pedrinho (Ademir da Guia), Zinho (Evair) e Alex; Paulo Nunes (Euller) e Oséas (Edmundo)
Técnico: Felipão

Palmeiras (Branco) 3 x 3 Palmeiras (Verde) – 25/10/2014

Cobrando pênalti, Ademir da Guia marcou o primeiro gol da Allianz Parque, em cima de Marcos

Ademir da Guia fica emocionado com jogo de despedida e primeiro gol do Allianz Parque

Eterno ídolo palmeirense marcou o primeiro gol da nova arena do clube paulista

postado em 25/10/2014 15:52 / atualizado em 25/10/2014 18:15

Agência Estado

Homenageado neste sábado em jogo oficial de despedida, o ídolo do Palmeiras Ademir da Guia revelou ter sentido uma emoção especial pela oportunidade de jogar no Allianz Parque. O ex-meia foi o anfitrião de uma festa que contou com a participação de outros ex-jogadores do clube no terceiro evento-teste organizado pela construtora WTorre antes da inauguração do estádio, que está prevista para o dia 8 de novembro.

Aos 72 anos, Ademir da Guia, que disputou mais de 900 jogos pelo Palmeiras, deu o pontapé inicial da partida e ainda marcou o primeiro gol do amistoso, que terminou empatado em 3 a 3 entre a equipe de camisas brancas contra a de uniforme verde. “O primeiro gol no estádio foi o Marcos que tomou e eu que fiz. Estamos na história agora e daqui a 100 anos, todos vão se lembrar disso”, disse.

Ademir marcou de pênalti, logo depois de ter trocado de camisa somente para fazer a cobrança. “Queria marcar o gol com a camisa verde”, disse. Minutos antes ele havia chutado na trave uma outra cobrança, quando ainda atuava na equipe branca. No gol estava Sérgio, que por pouco não defendeu. “Estou precisando treinar mais pênaltis. Vou me preparar para daqui um ano jogar 45 minutos, em vez dos 35 de hoje”, brincou.

A despedida oficial foi realizada exatos 30 anos do adeus de Ademir ao futebol, em jogo no Canindé, em 1984. Ao entrar em campo neste sábado, o ex-jogador se lembrou daquela ocasião e, inclusive, da presença do pai, o ex-zagueiro Domingos da Guia, falecido em 2000. “Na hora de entrar em campo hoje (sábado) eu fiquei muito emocionado. É diferente jogar em um estádio sensacional como esse e ter os companheiros juntos”, disse. Também participaram da partida nomes como Cafu, Edu Bala e Tonhão, além de Dudu e Leivinha como técnicos.

O jogo para Ademir da Guia foi o terceiro evento-teste do Allianz Parque e o que teve maior público. Em setembro, o local recebeu 3 mil pessoas para a exibição de um documentário sobre a conquista do Campeonato Paulista de 1993 e na última semana, mil convidados estiveram presentes para o ensaio da escola de samba Mancha Verde, que terá como enredo no carnaval de 2015 o centenário do clube.

“No ano do centenário, a gente pode ganhar o estádio como presente é maravilhoso. Que no futuro a gente tenha grandes jogos e grandes vitórias aqui”, disse Ademir. “Temos fazer o estádio uma casa nossa. Os jogadores têm que encarnar esse espírito e fazer disso a arrancada para grandes vitórias”, comentou ex-volante Dudu.

Lances, jogo completo.

FICHA TÉCNICA
 
Local: Allianz Parque, em São Paulo (SP)
Data: 25/10/2014
Árbitro: Sálvio Spínola (SP)
Gols: Ademir da Guia (time verde), aos 12’/1°T; Célio, aos 14’/1°T; Reinaldo Xavier, aos 22’/1°T; Galeano, aos 2’/2°T; Jorginho, aos 17’/2°T; Reinaldo, aos 27’/2°T
PALMEIRAS (Branco): Marcos, Veloso, Eurico, Chiquinho, Arouca, Celso Gomes, Toninho Cecílio, Adãozinho, Galeano, Edmílson, Odair, Zé Mário Crispim, Edu Bala, Jorginho Puttinati, Ademir da Guia, Evair, Denílson, Paulinho Massariol, Pio, Toninho, Demétrius Ferreira, Dudu (treinador).
PALMEIRAS (Verde): Gilmar, Luis Sérgio, Sérgio, Rosemiro, Ricardo Longhi, Polozi, Tonhão, Cleber, Pires, Claudecir, Amaral, César Sampaio, Esquerdinha, Célio, Reinaldo Xavier, Seixas, Gallo, Nei, Cafu, Reginaldo, Gérson Caçapa, Flávio Saretta, Hugo Hoyama, Leivinha (treinador).