Twitter RSS
Close

América/MG 0 x 0 Palmeiras – 05/08/2018

42965444795_a47b81403d_o
Crédito: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação

Na 3ª estréia de Felipão comandando a equipe Palestrina, o Verdão foi a campo com um time reserva poupando o elenco para o próximo prélio pela Libertadores.

A equipe em campo criou algumas chances e poderia ter saído vencedora se não tivesse desperdiçado outro pênalti.

Uma vitória seria fundamental já que alguns adversários diretos também tropeçaram, no entanto, nada que umas vitórias nas próximas rodadas não recuperem.

Jogo válido pela 17ª rodada do Brasileirão 2018.

FICHA TÉCNICA

Local: Arena Independência, Belo Horizonte (MG)
Data: 05/08/2018, domingo
Horário: 16h00 (de Brasília)
Árbitro: André Luiz de Freitas Castro (GO-Fifa)
Assistentes: Fabrício Vilarinho da Silva (GO-Fifa) e Bruno Raphael Pires (GO-Fifa)
Público: 8.077 pagantes
Renda: R$ 86.756,00
Cartões amarelos: Aderlan (AMG); Thiago Santos e Luan (PAL)

América-MG: João Ricardo; Aderlan, Messias, Matheus Ferraz e Carlinhos; Leandro Donizete, Wesley (Rafael Moura), Gerson Magrão, Ruy e Giovanni (David); Marquinhos (Matheusinho)
Técnico: Adilson Batista

Palmeiras: Weverton; Mayke, Luan, Thiago Martins e Victor Luis; Thiago Santos, Jean, Moisés (Bruno Henrique) e Lucas Lima; Hyoran (Gustavo Scarpa) e Borja (Deyverson)
Técnico: Luiz Felipe Scolari

PTD, Lancenet!Globo EsporteTerra EsportesEstadaoFolha Online.

Por Eduardo Luiz, da Redação PTD – 05/08/2018 – 17:53h.

Palmeiras perde outro pênalti, desta vez com Jean, e só empata com o América na estreia de Felipão

Com time alternativo, Verdão não joga bem e permanece estacionado na sexta colocação do Brasileirão.

Em função do jogo do meio de semana contra o Cerro Porteño pela Libertadores, Felipão, estreante da tarde, escalou uma equipe alternativa, mas com uma novidade importante: Borja, que se recuperou antes do previsto de uma artroscopia no joelho direito. Diante de um América muito recuado, no entanto, o Verdão pouco produzia. A primeira finalização – ou tentativa de – aconteceu aos 10 minutos: Thiago Santos sofreu falta próximo à área e Lucas Lima carimbou a barreira.

Aos 15 minutos uma jogada melhor trabalhada: após sequência de passes, Hyoran chutou cruzado já de dentro da área, o goleiro deu rebote, Lucas Lima o fintou e cruzou para Moisés, que não finalizou e acabou sendo pressionado pela marcação. No contra-ataque o América respondeu: Ruy foi derrubado por Thiago Santos e ele mesmo cobrou a falta, mas Weverton estava atento e fez a defesa.

O lance animou o time mineiro. Aos 20 minutos Gerson Magrão recebeu de Giovanni e ficou cara a cara com Weverton, que fechou bem o ângulo e evitou o gol com a barriga. Aos 22 a bola sobrou para Hyoran, mas o camisa 28 chutou fraco, fácil para o goleiro. Aos 22 minutos Moisés recebeu de Hyoran e foi derrubado por Matheus Ferraz dentro da área; pênalti bem marcado pela arbitragem. Desta vez coube a Jean desperdiçar a cobrança.

O pênalti perdido abalou o Palmeiras na mesma proporção que deu novo gás ao América, tanto que nos últimos 25 minutos a equipe de Scolari não voltou a finalizar, enquanto que os mineiros chegaram em duas oportunidades, aos 29 num chute forte de Ruy que Weverton espalmou, e aos 37 num arremate cruzado de Wesley, que saiu em tiro de meta.

Na etapa final o América voltou um pouco melhor, impondo mais dificuldades ao Verdão. Aos 10 minutos Ruy arriscou da entrada da área e acertou a junção da trave com o travessão. Weverton nada poderia fazer, mas pulou na bola. Aos 13 minutos Felipão mexeu pela primeira vez: Moisés deu lugar a Bruno Henrique.

Aos 17 minutos Lucas Lima tabelou com Borja mas chutou em cima do goleiro. Aos 24 a segunda mexida de Scolari: cansado, Borja foi substituído por Deyverson. Pouca coisa mudou, pelo contrário, piorou. Mesmo repleto de reservas, a equipe parecia cansada.

Apenas nos últimos 5 minutos os times resolveram se arriscar um pouco mais. Aos 40 Hyoran arriscou uma finalização de primeira após lançamento longo, mas errou o alvo. Aos 41 a bola sobrou para Carlinhos dentro da área e ele bateu torto, para sorte de Weverton, que nem pulou. Aos 42 Bruno Henrique arriscou de longe, sem direção.

Felipão só foi queimar a última alteração aos 45 minutos, trocando Hyoran por Gustavo Scarpa. Com pouco tempo para mostrar serviço, o camisa 14 arriscou para o gol aos 48, mas sem direção. Na sequência o árbitro encerrou a partida. Com o empate o Verdão vai a 27 pontos e segue distante dos primeiros colocados.

Agora o foco é na Libertadores. Quinta-feira (09/08) o Palmeiras inicia a disputa das oitavas de final contra o Cerro Porteño, no Paraguai. O jogo será realizado às 21h45.

Felipão estreia no Verdão pela terceira vez; confira dados do treinador no clube

Departamento de Comunicação

Luiz Felipe Scolari estreou no comando do Palmeiras pela terceira vez na história, neste domingo (05), diante do América-MG, no estádio Independência, em Belo Horizonte (MG). Com isso, o treinador chegou, somando suas três passagens pelo clube, a um total de 409 partidas frente o banco de reservas palestrino.

As outras duas estreias do treinador pelo Alviverde, em 1997 e em 2010 (quando permaneceria até 2000 e 2012, respectivamente), aconteceram diante do Caldas (vitória por 2 a 0 em partida amistosa), em 22 de junho de 1999, e do Avaí (revés por 4 a 2 no Brasileirão), em 18 de julho de 2010.

Agora com 409 jogos, Felipão segue como o segundo técnico que por mais vezes esteve à frente do Maior Campeão do Brasil, ficando atrás apenas de Oswaldo Brandão, que dirigiu o time por 585 vezes. Além disso, o atual treinador é o terceiro da lista dos que mais venceram pelo clube: 192 vitórias – neste quesito, apenas Vanderlei Luxemburgo, com 221 triunfos, e Oswaldo Brandão, com 341, superam o gaúcho de Passo Fundo.

Além disso, o treinador de 69 anos ostenta outro recorde que foi ampliado após a partida deste domingo, diante do América-MG. Ele é o número um dentre os técnicos que mais dirigiram o Verdão quando o assunto se restringe apenas ao Campeonato Brasileiro, agora com 167 jogos, e o segundo que mais venceu na competição nacional, acumulando 61 triunfos (neste aspecto, atrás apenas de Luxemburgo, com 76).

Campeão da Copa do Brasil em 1998 e 2012, da Copa Mercosul em 1998 e do Torneio Rio-São Paulo em 2000, Luiz Felipe Scolari também tem no currículo pelo Palmeiras a inesquecível Copa Libertadores da América, conquistada em 1999. No torneio continental, aliás, Felipão continua sendo o treinador de toda a história da agremiação alviverde que mais comandou a equipe (28 jogos) e que mais venceu (14 vitórias).

Confira alguns números de Luiz Felipe Scolari como técnico do Verdão:

Felipão (Retrospecto Geral)
J: 409
V: 192
E: 112
D: 105
GP: 729
GC: 501

Felipão (primeira passagem)
J: 254
V: 127
E: 64
D: 63
GP: 515
GC: 338

Felipão (segunda passagem)
J: 154
V: 65
E: 47
D: 42
GP: 214
GC: 163

Felipão (terceira passagem)
J: 1
V: 0
E: 1
D: 0
GP: 0
GC: 0

Felipão (Como Mandante)
J: 191
V: 117
E: 47
D: 27
GP: 389
GC: 186

Felipão (como visitante)
J: 212
V: 74
E: 62
D: 76
GP: 334
GC: 307

Felipão (campo neutro)
J: 6
V: 1
E: 3
D: 2
GP: 6
GC: 8

Felipão (no Palestra Italia)
J: 91
V: 63
E: 19
D: 9
GP: 226
GC: 98

Felipão (adversários internacionais)
J: 46
V: 29
E: 6
D: 11
GP: 114
GC: 51

Felipão (apenas jogos no exterior)
J: 27
V: 12
E: 4
D: 11
GP: 64
GC: 40

Treinadores que mais vezes comandaram o Palmeiras


Oswaldo Brandão
585 jogos


Luiz Felipe Scolari
409 jogos


Vanderlei Luxemburgo
368 jogos


Ventura Cambon
286 jogos


Rubens Minelli
250 jogos

Treinadores que mais venceram com o Palmeiras


Oswaldo Brandão
341 vitórias


Vanderlei Luxemburgo
221 vitórias


Luiz Felipe Scolari
192 vitórias


Ventura Cambon
158 vitórias


Rubens Minelli
116 vitórias

Treinadores que mais comandaram pela Libertadores


Luiz Felipe Scolari
28 jogos


Vanderlei Luxemburgo
20 jogos


Oswaldo Brandão
13 jogos


Celso Roth
12 jogos


Rubens Minelli
10 jogos

Treinadores que mais venceram pela Libertadores


Luiz Felipe Scolari
14 vitórias


Vanderlei Luxemburgo
9 vitórias


Oswaldo Brandão
Rubens Minelli
7 vitórias


Celso Roth
6 vitórias

Treinadores que mais comandaram pelo Brasileiro


Luiz Felipe Scolari
167 jogos


Vanderlei Luxemburgo
132 jogos


Oswaldo Brandão
111 jogos


Rubens Minelli
65 jogos


Cuca
63 jogos

Treinadores que mais venceram pelo Brasileiro


Vanderlei Luxemburgo
76 vitórias


Luiz Felipe Scolari
61 vitórias


Oswaldo Brandão
57 vitórias


Cuca
36 vitórias


Rubens Minelli
34 vitórias

Treinadores que mais comandaram pela Copa do Brasil


Luiz Felipe Scolari
44 jogos


Vanderlei Luxemburgo
21 jogos


Jair Picerni
3 jogos


Marcelo Oliveira
Otacílio Gonçalves
9 jogos

Treinadores que mais venceram pela Copa do Brasil


Luiz Felipe Scolari
26 vitórias


Vanderlei Luxemburgo
11 vitórias


Jair Picerni
Marcelo Oliveira
6 vitórias


Otacílio Gonçalves
Márcio Araújo
Antônio Carlos Zago
5 vitórias

Treinadores que mais comandaram pelo Paulista


Oswaldo Brandão
250 jogos


Vanderlei Luxemburgo
138 jogos


Ventura Cambon
116 jogos


Rubens Minelli
115 jogos


Aymoré Moreira
98 jogos


Luiz Felipe Scolari
87 jogos

Treinadores que mais venceram pelo Paulista


Oswaldo Brandão
149 vitórias


Vanderlei Luxemburgo
103 vitórias


Ventura Cambon
67 vitórias


Mário Travaglini
52 vitórias


Aymoré Moreira
51 vitórias


Rubens Minelli
48 vitórias


Filpo Nuñes
47 vitórias


Luiz Felipe Scolari
45 vitórias

Treinadores que mais comandaram no Palestra Italia


Vanderlei Luxemburgo
143 jogos


Oswaldo Brandão
130 jogos


Luiz Felipe Scolari
91 jogos


Amílcar Barbuy
76 jogos


Rubens Minelli
66 jogos

Treinadores que mais venceram no Palestra Italia


Vanderlei Luxemburgo
113 vitórias


Oswaldo Brandão
96 vitórias


Luiz Felipe Scolari
63 vitórias


Amílcar Barbuy
54 vitórias


Ventura Cambon
41 vitórias

Treinadores que mais comandaram no Pacaembu


Oswaldo Brandão
164 jogos


Ventura Cambon
120 jogos


Aymoré Moreira
82 jogos


Cláudio Cardoso
64 jogos


Mário Travaglini
54 jogos


Luiz Felipe Scolari
49 jogos

Treinadores que mais venceram no Pacaembu


Oswaldo Brandão
89 vitórias


Ventura Cambon
64 vitórias


Aymoré Moreira
33 vitórias


Gilson Kleina
31 vitórias


Cláudio Cardoso
29 vitórias


Mário Travaglini
27 vitórias


Armando Del Debbio
Luiz Felipe Scolari
20 vitórias

Treinadores que mais comandaram no Morumbi


Luiz Felipe Scolari
41 jogos


Rubens Minelli
37 jogos


Vanderlei Luxemburgo
Oswaldo Brandão
24 jogos


Telê Santana
21 jogos

Treinadores que mais venceram no Morumbi


Luiz Felipe Scolari
15 vitórias


Rubens Minelli
14 vitórias


Telê Santana
10 vitórias


Filpo Nuñez
Vanderlei Luxemburgo
9 vitórias


Dudu (Olegário Tolói de Oliveira)
Oswaldo Brandão
7 vitórias

Treinadores que mais comandaram no Maracanã


Oswaldo Brandão
18 jogos


Luiz Felipe Scolari
13 jogos


Filpo Nuñez
Rubens Minelli
10 jogos


Vanderlei Luxemburgo
9 jogos

Treinadores que mais venceram no Maracanã


Filpo Nuñez
8 vitórias


Oswaldo Brandão
7 vitórias


Cláudio Cardoso
Ventura Cambon
3 vitórias


Armando Renganeschi
Aymoré Moreira
Caio Jr.
Luiz Felipe Scolari
Marcelo Oliveira
Mário Travaglini
Rubens Minelli
Vanderlei Luxemburgo
2 vitórias

Outras estatísticas:

Maior goleada sob o comando de Felipão no Palestra: 05/08/1999 – Palmeiras 7×0 Racing (Copa Mercosul)

Placar mais frequente sob o comando de Felipão: 2×1 (37 vezes)

13 decisões por pênaltis sob o comando de Felipão: 8 vitórias

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.