Twitter RSS
Close

Corinthians 2 x 1 Palmeiras – 24/06/2012

valdivia-alecabral-futura
Valdivia entrou no segundo tempo, mas não conseguiu ajudar o Palmeiras (Foto: Ale Cabral/Futura Press)

Classificado para a final da Copa do Brasil voltamos as atenções ao Brasileirão para tentar a primeira vitória contra o time alternativo do rival.

Saímos na frente logo aos 3′, mas caímos muito de produtividade e acabamos tomando a virada.

A situação na tabela é crítica e precisamos reagir. Conquistamos apenas 2 pontos dos 18 disputados.

Jogo válido pela 6ª rodada do Brasileirão 2012.

FICHA TÉCNICA

Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data: 24/06/2012, domingo
Horário: 16h (de Brasília)
Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira (SP)
Assistentes: Emerson Augusto de Carvalho (Fifa-SP) e Rogério Pablos Zanardo (SP)
Cartões amarelos: Douglas, Liedson e Wallace (Corinthians). João Vitor, Valdivia, Cicinho e Márcio Araújo (Palmeiras)
Público: 17.519 pagantes
Renda: R$ 434.436,50
Gols: Corinthians: Romarinho, aos 33 minutos do primeiro tempo e aos 10 minutos do segundo tempo
Palmeiras: Mazinho, aos 3 minutos do primeiro tempo

Corinthians: Julio Cesar; Welder, Wallace, Paulo André e Ramon (Felipe); Marquinhos, Willian Arão e Douglas; Romarinho (Adilson), Willian (Gilsinho) e Liedson
Técnico: Tite

Palmeiras: Bruno; Cicinho, Maurício Ramos, Leandro Amaro (Maikon Leite) e Juninho (Fernandinho); Henrique, Márcio Araújo, João Vitor e Daniel Carvalho (Valdivia); Mazinho e Barcos
Técnico: Luiz Felipe Scolari

Derrota inaceitável no Pacaembu

Com Cicinho e Barcos de surpresas, o Verdão iniciou o clássico em busca do gol, que não demorou a sair. Logo aos 3 minutos João Vítor experimentou da entrada da área, pegou torto mas a bola foi na direção de Mazinho, que concluiu: 1 a 0.

A frente no placar, o Palmeiras relaxou e viu o Corinthians crescer. Aos 5 minutos William Arão chutou de longe para boa defesa de Bruno. Aos 15 Juninho espanou uma bola dentro da área e Liedson arrematou de bicicleta, na trave. Aos 22 foi a vez de Elder fazer o camisa 1 Palmeirense trabalhar.

O time de Felipão só foi voltar ao ataque aos 27, depois de Daniel Carvalho tentar um chute de fora da área que saiu à esquerda de Julio Cesar, com desvio. No minuto seguinte Juninho fez boa jogada pela esquerda e cruzou para Barcos, que escorou, mas Wallace chegou antes de Mazinho.

Aos 33 minutos, quando o Verdão parecia ter equilibrado a partida, o rival chegou ao empate. O sistema defensivo alviverde apenas observou a troca de passes do ataque adversário até a conclusão de Romarinho, de letra: 1 a 1. Com a igualdade no marcador, o clássico caiu de rendimento, pois nem Palmeiras nem Corinthians quiseram se arriscar. E assim o primeiro tempo caminhou até o árbitro encerrá-lo.

Na etapa final o Palmeiras voltou com Maikon Leite e Valdivia nos lugares de Leandro Amaro e Daniel Carvalho. Era de se esperar uma equipe mais ofensiva, mas quem tomou a iniciativa foi o Corinthians.

Aos 10 minutos Romarinho fintou como quis Cicinho e bateu forte; a bola ainda acertou a trave direita de Bruno antes de entrar: 2 a 1. Perdendo o jogo para o time B do rival, Felipão promoveu a última alteração, trocando Juninho por Fernandinho. A mudança, obviamente, não melhorou o time.

Com a inesperada vitória na mão, o Corinthians tratou de recuar para jogar nos contra-ataques. Aos 33 minutos Maurício Ramos errou um passe e Liedson arrancou desde o campo de defesa até a entrada da área antes de soltar a bomba e exigir de Bruno uma boa defesa. Nos minutos finais do clássico o que se viu em campo foi um Palmeiras perdido em busca do empate, que merecidamente não saiu.

Com o resultado o Palmeiras se mantém com míseros 2 pontos no Brasileirão e ainda vê o rival se reabilitar na competição.

Agora o time de Felipão para por uma semana e só volta a campo domingo que vem (01/07) para enfrentar o Figueirense, às 18h30, na Arena Barueri.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.