Twitter RSS
Close

Palmeiras 3 x 0 Ituano – 11/02/2012

barcos
Foto: Rubens Cavallari/Folhapress

Depois de um começo de temporada um tanto preocupante, o Palmeiras 2012 parece começar a se mostrar.

Na estréia de Hernán Barcos fizemos uma ótima partida, resolvemos o jogo no primeiro tempo e administramos o restante com muita tranquilidade.

A vitória nos deixa na liderança do campeonato. Ainda há vários pontos a melhorar, mas Felipão tem condições de colher bons frutos desse elenco.

Jogo válido pela 7ª rodada do Paulistão 2012.

Gols, melhores momentos.

FICHA TÉCNICA

Local: Pacaembu, São Paulo (SP)
Data: 11/02/2012, sábado
Horário: 17h. (de Brasília)
Árbitro: Edson Reis Pavani Junior
Assistentes: Eduardo Vequi Marciano e Maria Eliza Correia Barbosa
Assistentes adicionais: Fabio de Jesus Volpato Mendes e Marcio Henrique de Gois
Renda: R$ 367.835,00
Público: 11.704 expectadores
Assistentes adicionais:
Cartões amarelos: Cicinho, Artur e Patrik (Palmeiras); Jefferson Luis e Kleyton Domingues (Ituano)
Gols: Patrik, aos 7, Barcos, aos 22 minutos do primeiro tempo; Artur, aos 22 minutos do segundo tempo

Palmeiras: Deola; Cicinho (Artur), Leandro Amaro, Henrique e Juninho; Marcos Assunção (Pedro Carmona), Márcio Araújo, Patrik e Daniel Carvalho (João Vitor); Mailkon Leite e Barcos
Técnico: Luiz Felipe Scolari.

Ituano: Douglas; Alex, César Gaúcho, Thiago Gomes e Gustavo; Allan Mota, Rodrigo Costa (Otacílio Neto), Alemão. Kleyton Domingues; Jefferson Luis (Hugo) e Michel (Evando)
Técnico: Doriva (interino).

INVICTO E LÍDER: PALMEIRAS BATE ITUANO, ANIMA TORCIDA E ‘APRESENTA’ BARCOS

Verdão faz 3 a 0 com facilidade, com brilho do atacante argentino na etapa inicial. Time sai aplaudido e ocupa a ponta do Paulistão, com 17 pontos
por Diego Ribeiro (globoesporte.com)
Cada vez mais maduro, o Palmeiras vai fazendo as pazes com seu torcedor e mostrando que não é nem sombra daquele que decepcionou em 2011. Contra o Ituano, neste sábado, no Pacaembu, o Verdão resolveu o jogo no primeiro tempo, teve pouco trabalho e ganhou a liderança provisória do Campeonato Paulista com os 3 a 0 aplicados na equipe do interior. O time que dependia da bola parada de Marcos Assunção continua precisando dela – o capitão participou de nove dos 14 gols em 2012. Mas agora tem um artilheiro nato, Hernán Barcos, um meia criativo, Daniel Carvalho, e muita disposição.
Barcos fez seu primeiro gol com a camisa do Palmeiras, o segundo da equipe neste sábado. Bem ou mal, enchendo os olhos ou não, o time de Luiz Felipe Scolari ocupa a ponta da tabela do Paulistão, com 17 pontos em sete jogos – contando com o fim da temporada passada, já são 13 partidas de invencibilidade.

O Alviverde permanecerá na liderança isolada se Corinthians e São Paulo empatarem no clássico deste domingo, também no Pacaembu, no complemento da sétima rodada do Paulistão. Por outro lado, o frágil Ituano segue com quatro pontos na tabela, à beira do rebaixamento. O auxiliar técnico Doriva fez o que pôde, mas a equipe do interior teve poucas chances de surpreender.

Os dois times voltam a campo às vésperas do carnaval, pela oitava rodada do estadual. O Palmeiras enfrenta o Guaratinguetá fora de casa, sexta-feira, às 21h (de Brasília). Já o Ituano recebe o Catanduvense no sábado, às 18h30m, no Novelli Júnior.

Navegando sem sustos

Entre todas as escalações utilizadas por Luiz Felipe Scolari na temporada, a deste sábado era a mais ousada. No ataque, Maikon Leite e Barcos mostraram um entrosamento incomum, como se jogassem juntos há anos. Pela direita, Maikon fez sua melhor partida como titular do Verdão, infernizou a frágil zaga do Ituano e participou do primeiro gol. Daniel Carvalho esteve mais tímido, mas chamou a atenção com passes precisos – inclusive um de letra que quase resultou em gol.

O esquema era mais equilibrado, o sistema defensivo controlava bem a equipe do interior, mas a estrela da tarde vestia a camisa de número 29, arrumava os cabelos depois de cada jogada e era ovacionado pela torcida a cada toque na bola. Hernán Barcos caiu nas graças da torcida logo em seus primeiros cinco minutos. Um drible seco que tirou dois zagueiros da jogada fez nascer o gol de abertura do placar no Pacaembu. Segundos depois do lance, a bola passou por Maikon Leite na direita e terminou na cabeça de Patrik: 1 a 0, com apenas sete minutos.

A chuva não atrapalhou os planos do Palmeiras, que tinha em Barcos seu porto seguro no ataque. A fome de gol era evidente. Em todos os lances de ataque o argentino levantou os braços pedindo bola, querendo jogo. Aos 22, veio a recompensa – para variar, em uma jogada iniciada por Marcos Assunção. De cabeça, praticamente em cima da linha, Barcos desencantou e levou os palmeirenses a um outro nível de empolgação. Aquele time de 2011 está cada vez mais longe da memória do torcedor, substituído por uma equipe muito melhor, muito mais qualificada para levar o Verdão a voos altos na temporada.

Assunção? Que novidade…

Ainda há um problema sério a ser corrigido neste novo Palmeiras: a capacidade de complicar um jogo fácil. O Ituano, mesmo com o técnico interino Doriva e um time bem mudado, passou a pressionar no início do segundo tempo. Kleyton Domingues não teve marcação, Jefferson Luiz passou a arriscar de longe, e Deola teve trabalho. O Verdão errou passes demais e mostrou certo nervosismo com o domínio dos rivais.

Felipão agiu e fez sua substituição costumeira, tentando proteger melhor o meio-campo. Sacou um cansado Daniel Carvalho e lançou João Vitor. Desta vez a alternativa de colocar o volante se mostrou mais efetiva. O meio-campo acertou a marcação, e o jogo voltou para as rédeas do Palmeiras.

E lá no ataque? Barcos se garantiu na disposição, Maikon Leite fez mais algumas boas jogadas pela direita… Mas quando o time era pressionado e precisou de alguém, foi a arma de sempre que apareceu. Virou rotina falar de Marcos Assunção. Basta informar que de um escanteio cobrado por ele saiu o gol de cabeça de Artur, segundo do lateral-direito em dois jogos com a camisa do Verdão.

Não à toa, Assunção foi aplaudido de pé pela torcida quando substituído por Pedro Carmona, já nos minutos finais. Já faz um certo tempo que o capitão do Palmeiras é o cara do time, o jogador mais confiável que Felipão tem em mãos. A diferença é que em 2012 as companhias são mais qualificadas, e o Verdão começa a tomar corpo. Há tempos, o palmeirense esperava por boas notícias como essa.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.