Twitter RSS
Close

Palmeiras 0 x 2 Coritiba – 06/11/2011

Foto: Marcos Bezerra/Futura Press

Sem Valdivia, suspenso, Palestra teve em Marcos Assunção, que voltava após três jogos fora por conta de uma lesão no ombro, a esperança de acabar com a série negativa de sete partidas sem vitória.

Mas o que se viu foi um time extremamente dependente do volante. As únicas oportunidades de gol saíam dos pés do camisa 20, sempre em cobranças de falta.

Desta forma, o Palmeiras segue na sua toada para terminar 2011 da forma mais melancólica possível.

Com a desastrosa campanha no returno, o Verdão termina o fim de semana na 13ª colocação, com 41 pontos – ainda com uma boa vantagem de sete pontos para a zona do rebaixamento.

Jogo válido pela 33ª rodada do Brasileirão 2011.

FICHA TÉCNICA

Local: Arena Barueri, Barueri (SP)
Data: 06/11/2011, domingo
Horário: 19h (de Brasília)
Renda: R$ 75.868,00
Horário: 7.513 espectadores
Árbitro: Alicio Pena Júnior
Assistentes: Janette Mara Arcanjo e Nadine Schram Camara Bastos
Cartões amarelos: Thiago Heleno, Rivaldo e Chico (Palmeiras); Léo Gago, Jonas, Emerson e Eltinho (Coritiba)
Cartões vermelhos: João Vitor (Palmeiras)
Gols: Davi, aos 22 minutos do primeiro tempo; Leonardo, aos 11 minutos do segundo tempo

Palmeiras: Deola; Cicinho, Thiago Heleno, Henrique e Rivaldo (Maikon Leite); Chico, João Vitor, Marcos Assunção e Tinga (Fernandão); Ricardo Bueno (Márcio Araújo) e Luan
Técnico: Luiz Felipe Scolari

Coritiba: Vanderlei; Jonas, Jeci, Emerson e Eltinho; Willian, Léo Gago, Davi (Everton Ribeiro) e Everton Costa; Marcos Aurélio (Leandro Donizete) e Leonardo (Anderson Aquino)
Técnico: Marcelo Oliveira

Terra Esportes, Estadao, Folha Online.

Palmeiras perde para o Coritiba e amplia sequência negativa

THIAGO BRAGA
COLABORAÇÃO PARA A FOLHA

O Palmeiras segue na sua toada para terminar 2011 da forma mais melancólica possível. No reencontro com o seu algoz da temporada, o time voltou a perder do Coritiba, desta vez apenas por 2 a 0 em casa, ampliou o jejum para oito jogos sem vencer e não consegue afastar definitivamente o fantasma do rebaixamento.

O time assim estaciona na 13ª posição, com 41 pontos, sete a mais que o Cruzeiro, o 17º. Já o time paranaense, que não vencia fora dos seus domínios há oito jogos, chega aos 48 pontos e sobe para a 10ª colocação, se mantendo na zona de classificação para a Sul-Americana.

Na próxima rodada, o Palmeiras viaja até o Rio Grande do Sul para enfrentar o Grêmio tentando voltar a vencer. Já o Coritiba recebe o Flamengo.

O Palmeiras, mergulhado em problemas extracampo, enfrentava o rival que, ainda no primeiro semestre, mostrou que a boa campanha do time alviverde no Campeonato Paulista não se sustentava em nível nacional. Foi depois do 6 a 0 imposto pelos paranaenses na Copa do Brasil que o Palmeiras começou a degringolar.

Sem Valdivia, suspenso, os donos da casa tinham em Marcos Assunção, que voltava após três jogos fora por conta de uma lesão no ombro, a esperança de acabar com a série negativa de sete partidas sem vitória.

Mas o que se viu foi um time extremamente dependente do volante. As únicas oportunidades de gol saíam dos pés do camisa 20, sempre em cobranças de falta.

Os visitantes, mesmo com a improdutividade do Palmeiras, pouco arriscavam. Mas mesmo assim, tímido, foi o Coritiba quem marcou. Henrique vacilou e foi driblado por Everton Costa, que ainda tirou de Deola antes de tocar para Davi chutar e abrir o placar aos 23min. Coritiba 1 a 0.

O jogo era modorrento na Arena Barueri. O Palmeiras esbarrava na sua falta de qualidade no meio de campo na hora de criar jogadas.

No intervalo, o time foi para os vestiários sob os apupos dos seus torcedores, irritados com a péssima atuação do Palmeiras.

Para a segunda etapa, Luiz Felipe Scolari promoveu a entrada de Maikon Leite na tentativa de dar mais poder de fogo ao seu ataque. Deu certo e a equipe voltou também com outro espírito.

E passou a criar boas jogadas, ameaçando o goleiro Vanderlei. Ricardo Bueno perdeu ótima chance de cabeça, Luan obrigou o arqueiro paranaense a fazer ótima defesa.

Mas o Palmeiras é um time intranquilo. E os visitantes souberam aproveitar isso. Aos 11min, o Coritiba saiu em velocidade no contra-ataque. Marcos Aurélio deu lindo passe de coxa para Leonardo. O centroavante teve toda a liberdade para dominar, caminhar com a bola, invadir a área e chutar sem chances para Deola.

Após o segundo tento paranaense o que se viu foi um Palmeiras sem nenhum padrão, jogando na base do desespero para tentar um empate que seria, dada as circunstâncias, heroico.

Os visitantes só não ampliaram a vantagem porque acabaram se acomodando. A melhor chance foi em uma bola na trave de Everton Ribeiro. Ainda deu tempo para o volante João Vitor ser expulso, deixando os anfitriões com um jogador a menos.

No fim da partida, os mais de 7 mil presentes passaram a ironizar a atuação do Palmeiras, gritando olé quando o Coritiba trocava passes e cantando que o time é sem vergonha.

No fim, um lance que evidencia que a fase do Palmeiras não é boa. Fernandão saiu cara a cara com o goleiro Vanderlei. Driblou o arqueiro, mas na hora de marcar, escorregou. Uma escorregada que explica o momento da equipe.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.