Twitter RSS
Close

Atlético-PR 2 x 2 Palmeiras – 07/09/2011

Adailton, do Atlético-PR, e Gabriel Silva, do Palmeiras, em disputa de bola (Foto: Agência Estado)

Precisando vencer para não perder de vista os líderes do campeonato e sonhar com a Libertadores de 2012, o Palestra foi a Curitiba enfrentar o Atlético-PR.

Em jogo muito truncado, o Verdão dominou e esteve duas vezes à frente do placar. Só que deixou novamente a vitória escapar – faltou um daqueles “detalhes” que o técnico Luiz Felipe Scolari diz não ter em sua equipe.

A arbitragem de Marcelo de Lima Henrique colaborou para que o jogo ficasse feio e travado. Foram nada menos que dez cartões amarelos e um vermelho (Atlético).

Com o resultado, o Palmeiras soma 34 pontos na tabela, foi ultrapassado pelo Fluminense, que tem mais vitórias, e agora é o sétimo colocado, sete pontos atrás do líder São Paulo.

Jogo válido pela 22ª rodada do Brasileirão 2011.

FICHA TÉCNICA:

Local: Arena da Baixada, em Curitiba (PR)
Data: 7 de setembro de 2011, quarta-feira
Público: 12.219 pessoas
Renda: R$ 201.330,00
Horário: 21h50 (de Brasília)
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (Fifa-RJ)
Assistentes: Dibert Pedrosa Moises (Fifa-RJ) e Rodrigo F. Henrique Correa (RJ)
Cartões amarelos: Marcelo Oliveira, Deivid, Cléber Santana, Kléberson e Mádson (Atlético-PR); Thiago Heleno, Kléber, João Vítor, Marcos, Cicinho e Tinga (Palmeiras)
Cartão vermelho: Cléber Santana (Atlético-PR)
Gols: ATLÉTICO-PR: Guerrón, aos 34 minutos do primeiro tempo; Marcinho (pênalti), aos 25 minutos do segundo tempo
PALMEIRAS: Henrique, aos 14 minutos do primeiro tempo; Fernandão, aos sete minutos do segundo tempo

ATLÉTICO-PR: Renan Rocha; Edílson, Manoel, Rafael Santos e Héracles; Deivid, Cléber Santana, Marcelo Oliveira (Mádson) e Marcinho; Adaílton (Kléberson) e Guerrón (Pablo)
Técnico: Antônio Lopes

PALMEIRAS: Marcos; Cicinho, Henrique, Thiago Heleno (Leandro Amaro) e Gabriel Silva; Chico, Marcos Assunção e Patrik (Tinga); Luan, Kleber e Fernandão (Ricardo Bueno)
Técnico: Luiz Felipe Scolari

ESPN, Globo Esporte, Terra Esportes, Estadao, Folha Online.

Mesmo com um homem a mais, Palmeiras só empata com o Atlético-PR e cai para 7º lugar

ESPN.com.br com Agência Gazeta Press

O Palmeiras segue com uma campanha ruim como visitante e ficou mais distante da briga pelas primeiras colocações do Brasileirão. Nesta quarta-feira à noite, o alviverde paulista só empatou com o Atlético-PR, por 2 a 2, na Arena da Baixada, caindo para a sétima colocação. Mesmo tendo um homem a mais em campo desde o primeiro tempo, a equipe não conseguiu superar o penúltimo colocado do campeonato.

Com o resultado, o Palmeiras soma 34 pontos na tabela, foi ultrapassado pelo Fluminense, que tem mais vitórias, e agora é o sétimo colocado, sete pontos atrás do líder São Paulo. Já o Atlético-PR, na 19º posição, segue desesperado na zona de rebaixamento, com 19 pontos.

Em 11 jogos fora de casa, o time do técnico Luiz Felipe Scolari conseguiu apenas uma vitória, além de seis empates e quatro derrotas.

Nesta quarta, o Palmeiras abriu o placar com um gol de Henrique, de cabeça, aos 14 minutos do primeiro tempo. Aos 34, Guerrón, também de cabeça, empatou para os donos da casa. Um minuto depois, Cléber Santana fez falta dura em Luan, recebeu o cartão amarelo e foi expulso logo em seguida por reclamação.

Na segunda etapa, Fernadão aproveitou rebote do goleiro e colocou os visitantes novamente em vantagem, aos 7 minutos. Porém, aos 25 minutos, Marcinho cobrou pênalti, que o goleiro Marcos cometeu em Deivid, e igualou o marcador.

Na próxima rodada, o Atlético Paranaense encara o Flamengo, domingo, em partida marcada para o Estádio Cláudio Moacyr, em Macaé. Já o Palmeiras terá pela frente, no mesmo dia, o Internacional, no Estádio do Pacaembu, em São Paulo.

 

O jogo

A partida começou quente na Arena. Logo aos dois minutos, dividia forte entre Kléber e Deivid e o clima fechou entre os atletas. Com a bola rolando novamente, Guerron arriscou um chute de fora da área, aos cinco minutos, e isolou a bola. O Palmeiras levou perigo em sua jogada mais clássica. Aos nove minutos, Marcos Assunção cobrou falta, ninguém achou nada no caminho e o goleiro Renan Rocha fez a defesa.

O Palmeiras abriu o placar aos 14 minutos, com Henrique, que recebeu cruzamento na medida de Kléber e testou firme, com liberdade, para o fundo da rede. Os jogadores do Atlético-PR estavam nervosos em campo e reclamavam demais. Aos 18 minutos, Chico arriscou de longe e Renan Rocha se esticou para desviar pela linha de fundo. Aos 24 minutos, Marcos trabalhou ao segurar uma falta cobrada por Edílson, sem grande perigo.

Marcos Assunção criou mais uma situação aos 27 minutos, ao cruzar para Kléber, que desviou no meio do caminho, para fora. O Rubro-Negro acordou e, aos 34 minutos, Edílson cobrou falta direto para o gol e Marcos, atento, tocou para escanteio.

No lance seguinte, o equatoriano Guerrón, que voltava ao time, aproveitou sobra de bola e desviou de cabeça para o fundo do gol. Aos 36 minutos, Cléber Santana foi amarelado e reclamou com a arbitragem. Foi mais cedo para o chuveiro. Antônio Lopes tentou consertar o meio-campo com a entrada de Kléberson.

No intervalo, muita reclamação por parte do Atlético-PR sobre o árbitro Marcelo de Lima Henrique, com o diretor de futebol Alfredo Ibiabina entrando em campo para protestar. Na segunda etapa, o Palmeiras voltou com Leandro Amaro no lugar de Thiago Heleno, que já tinha cartão amarelo. Depois de certo equilíbrio, o Palmeiras chegou ao segundo gol. Aos sete minutos, Fernandão aproveitou rebote de Renan Rocha e completou para a rede.

Os paulistas começaram a aproveitar a vantagem numérica. Aos 10 minutos, Marcos Assunção levantou na área e Chico cabeceou no travessão. O time da casa já não mostrava a mesma disposição e era facilmente dominado.

No banco de reservas, João Vítor recebeu cartão amarelo. Aos 18 minutos, Marcos Assunção mandou um petardo à direita da meta atleticana. Mas, aos 24 minutos, Guerrón invadiu a área e foi derrubado por Marcos. Pênalti. Na cobrança, Marcinho balançou a rede.

O jogo ganhou em emoção. Aos 27 minutos, Guerrón arrematou e Marcos fez grande defesa. Aos 34 minutos, Luan recebeu lançamento em profundidade e fez falta de ataque. O Rubro-Negro se fechava bem na defesa, aguardando uma chance para contra-atacar. Aos 41 minutos, Mádson recebeu lançamento com liberdade e o impedimento foi marcado. Em uma partida marcada por muita reclamação e cartões, o resultado foi ruim para os dois lados.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.