Twitter RSS
Close

Palmeiras 1 (5) x (6) 1 Corinthians – 01/05/2011

O Verdão foi a campo tentando uma vaga na final do estadual contra o Santos.

As polêmicas começaram antes do apito inicial. Informalmente já se sabia o árbitro antes mesmo do sorteio acontecer.

No início, tensão. Durante, clima de guerra.

A partida começou quente e logo aos Danilo foi expulso deixando o Palestra com 10 jogadores. Felipão discutiu com Tite e também foi pro vestiário.

Mesmo com 1 jogador a mais em campo, o Corinthians não assustou Deola em nenhuma oportunidade.

No segundo tempo, mesmo abalado emocionalmente, o Palmeiras voltou melhor, pressionando o rival. O gol acabou não demorando a sair. Aos 6 minutos Marcos Assunção cobrou escanteio, Leandro Amaro foi no terceiro andar e de cabeça abriu o placar. 10 minutos depois nova polêmica: Jorge Henrique cobrou escanteio, Deola falhou e Willian cabeceou; Leandro Amaro tirou a bola antes dela balançar a rede, mas o assistente deu o gol.

O Verdão continuou tentando, mas a partida foi para as penalidades. João Vitor parou na defesa de Júlio César na sexta cobrança e eliminou o Palestra.

Jogo válido pela semifinal do Paulistão 2011.

FICHA TÉCNICA

Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data: 1º de maio de 2011, domingo
Horário: 16 horas (de Brasília)
Árbitro: Paulo César de Oliveira (SP)
Assistentes: Vicente Romano Neto e Alex Alexandrino (ambos de SP)
Público: 33.861 pagantes (total de 35.874)
Renda: R$ 949.236,00
Cartões amarelos: Kleber (Palmeiras); Alessandro, Fábio Santos, Bruno César, Ralf, Leandro Castán (Corinthians)
Cartão vermelho: Danilo (Palmeiras)
Gols: PALMEIRAS: Leandro Amaro, aos 7 minutos do segundo tempo; CORINTHIANS: Willian, aos 19 minutos do segundo tempo

PALMEIRAS: Deola; Cicinho (João Vitor), Thiago Heleno, Danilo e Rivaldo; Marcos Assunção, Márcio Araújo, Tinga (Patrik) e Valdívia (Leandro Amaro); Luan e Kleber. Técnico: Luiz Felipe Scolari

CORINTHIANS: Julio Cesar; Alessandro (Cachito Ramírez), Chicão, Leandro Castán e Fábio Santos; Ralf, Paulinho, Bruno César (Morais) e Jorge Henrique; Dentinho (Willian) e Liedson. Técnico: Tite

PTD, Globo Esporte, Terra EsportesEstadaoFolha Online, ESPN.

Em jogo tenso, Corinthians bate Palmeiras nos pênaltis e vai à final

Leandro Miranda – Direto de São Paulo

Após clássico muito nervoso, com lances violentos, expulsões e empate por 1 a 1 no placar, o Corinthians venceu o Palmeiras por 6 a 5 nos pênaltis neste domingo, no Pacaembu, e se classificou para a grande final do Campeonato Paulista. Daqui a uma semana, no mesmo Pacaembu, a equipe abre o confronto pelo troféu contra o Santos, que superou o São Paulo na outra semifinal.

Depois de um primeiro tempo tenso, marcado por confusões entre jogadores e expulsões do zagueiro Danilo e do técnico Luiz Felipe Scolari pelo lado alviverde, o Palmeiras abriu o placar com Leandro Amaro aos 7min, mas permitiu a igualdade – Willian marcou aos 18min. Nos pênaltis, João Vitor desperdiçou a sexta cobrança da equipe de Felipão e Ramírez selou a classificação dos comandados de Tite na sequência.

O triunfo dramático dá tranquilidade ao treinador e evita “férias forçadas” do clube do Parque São Jorge, que só voltaria a campo daqui a três semanas, na abertura do Campeonato Brasileiro, em caso de derrota neste domingo. Já o Palmeiras volta as atenções para a Copa do Brasil – na próxima quinta-feira, a equipe abre o duelo de quartas de final contra o Coritiba, no Couto Pereira.

O jogo

No início, tensão. Durante, clima de guerra. Alimentado pelas polêmicas na semana que o antecedeu (ameaças de “chutes no ar”, reprovação da escolha da arbitragem por parte dos palmeirenses e distribuição de apenas pouco mais de 2 mil ingressos para a torcida corintiana), o clássico foi muito nervoso e começou com faltas duras dos dois lados. Com a bola rolando, os times se equilibravam, adotando esquemas semelhantes e muita correria, mas o Palmeiras criava as melhores chances. Aos 13min, Kleber ajeitou para Valdivia, que chutou forte. Júlio César espalmou.

Dez minutos depois, porém, o panorama da partida mudou completamente. Para desespero dos alviverdes. Primeiro, Danilo entrou duro sobre Liedson. Após muita discussão e cinco minutos de paralisação, o zagueiro foi expulso pelo árbitro Paulo César de Oliveira, deixando a equipe de Felipão com um a menos. Para piorar, Valdivia se machucou justamente ao tentar o polêmico drible do “chute no ar” e foi substituído – entrou Leandro Amaro.

A bola rolou por mais cerca de três minutos até uma nova confusão. Por abusar das reclamações, o técnico palmeirense foi expulso – minutos antes, ele tinha discutido com o colega Tite, com quem tem relação estremecida. Os alviverdes reclamaram muito, cobrando também a exclusão do comandante corintiano. Em vão. Após cinco minutos de paralisação, Felipão se retirou escoltado por policiais.

Com um a menos, o Palmeiras se fechou com duas linhas de quatro e apenas Kleber isolado na frente. O Corinthians, assim, passou a ter mais posse de bola, mas, com pouca inspiração ofensiva, assustou apenas em cobrança de falta de Chicão e em desvio de cabeça de Liedson, ambos defendidos por Deola. Ainda antes do intervalo, o time alviverde perdeu Cicinho, lesionado. João Vitor entrou em seu lugar.

O segundo tempo começou em ritmo mais lento e com o Palmeiras assustando na bola parada. Aos 6min, Marcos Assunção cobrou falta e Júlio César foi buscar no ângulo. Na sequência, o volante bateu escanteio caprichado. Leandro Amaro subiu mais que a defesa e abriu o placar, aos 7min. Em desvantagem, Tite trocou Alessandro pelo peruano Ramírez e Dentinho por Willian – Paulinho passou a ocupar a lateral direita.

O time alvinegro não chegou a pressionar efetivamente, mas buscou o empate aos 18min. Willian desviou escanteio de cabeça em direção às redes. Leandro Amaro ainda afastou, mas a arbitragem considerou que a bola ultrapassou a linha. O gol, porém, não abalou os palmeirenses, que, mesmo com um a menos, desperdiçaram boas chances. Na melhor delas, Marcos Assunção deu belo passe para Luan, que parou na defesa de Júlio César.

Nos minutos finais, os dois técnicos lançaram mão de suas últimas armas. Morais entrou na vaga de Bruno César no Corinthians, enquanto Patrik substituiu Tinga no Palmeiras. A equipe de Tite adiantou a marcação e tentou pressionar, mas não criou muito perigo. Do outro lado, Marcos Assunção, em cobrança de falta, quase abriu o placar; a bola raspou o travessão. Para encerrar o clássico tenso, Paulinho e Kleber ainda discutiram asperamente antes do apito final.

Pênaltis
Nas cobranças decisivas, Kleber, Marcos Assunção, Márcio Araújo, Luan e Thiago Heleno marcaram para o Palmeiras, mas João Vitor parou na defesa de Júlio César na sexta cobrança. Do lado do Corinthians, 100% de aproveitamento: Chicão, Willian, Fábio Santos, Leandro Castan, Morais e Ramirez foram às redes. Os palmeirenses aplaudiram o time após a derrota. Paulo César de Oliveira saiu de campo rapidamente, escoltado por policiais.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.