Twitter RSS
Close

Ceará 0 x 0 Palmeiras – 25/07/2010

Kleber esteve perto do gol no segundo tempo, acertando o travessão (Foto: Agência Estado)

E ainda não foi dessa vez que Felipão pôde voltar a sentir o que é vencer no comando do Palmeiras após seu retorno.

Depois de uma derrota e um empate nas últimas 2 partidas, o Palestra precisava vencer, no entanto, foi uma atuação bastante ruim.

Com um jogador a menos em parte da segunda etapa, o time paulista segurou o ímpeto dos cearenses graças a Deola, que fez ótimas defesas no fim.

Com o empate, Palmeiras continua no meio da tabela, em décimo lugar, com 14 pontos.

Jogo válido pela 11ª rodada do Brasileirão.

FICHA TÉCNICA

Local: Estádio Castelão, em Fortaleza (CE)
Data: 25 de julho de 2010, domingo
Horário: 18h30 (de Brasília)
Árbitro: Péricles Bassols Cortez (RJ-Fifa)
Assistentes: Ricardo de Almeida e Antônio Pinheiro Lobato (ambos RJ)
Cartões amarelos: Michel (C), Léo (P)
Cartões vermelhos: Léo (P)

CEARÁ: Diego; Oziel (Camilo), Anderson, Fabrício e Ernandes; Michel (Clodoaldo), Careca, João Marcos e Erick Flores (Wellington Amorim); Misael e Tony
Técnico: Estevam Soares

PALMEIRAS: Deola; Vitor, Maurício Ramos, Léo e Armero; Tinga, Márcio Araújo, Lincoln (Gabriel Silva) e Patrik; Ewerthon (Leandro Amaro) e Kleber (Tadeu)
Técnico: Luiz Felipe Scolari

globoesporte.com, Portal Terra, EstadaoFolha Online.

Ceará e Palmeiras ficam no zero, e Felipão segue em jejum de vitórias

Equipes sofrem com falta de atacantes finalizadores e não saem do placar sem gols. Em três jogos, técnico do Verdão ainda não ganhou

Não foi dessa vez que Luiz Felipe Scolari pôde voltar a sentir o que é vencer no comando do Palmeiras. Neste domingo, no Castelão, o empate por 0 a 0 com o Ceará aumentou para três jogos a série sem triunfos pelo Campeonato Brasileiro – contra o Santos, o auxiliar Flávio Murtosa ficou no banco de reservas.

O Palmeiras, que vinha de um empate e uma derrota, não jogou bem, mas ao menos manteve uma escrita diante do rival. Em 16 jogos, são dez vitórias palmeirenses e seis igualdades – contando a deste domingo.

Com um jogador a menos em parte da segunda etapa, o time paulista segurou o ímpeto dos cearenses graças a Deola, que fez ótimas defesas no fim. Já os donos da casa sofreram com a falta de um finalizador e chegaram ao segundo empate seguido no Campeonato Brasileiro, desapontando a grande torcida presente no Castelão. Diego contribuiu para a noite dos goleiros e evitou uma derrota em casa.

O Ceará segue sem vencer desde o fim da Copa do Mundo. Tem 20 pontos e se mantém na terceira posição, agora um pouco mais distante do líder Corinthians, que soma 24. Na próxima rodada, visita o São Paulo, às 18h30m de sábado, no Morumbi. O Palmeiras continua no meio da tabela, em décimo lugar, com 14 pontos. A próxima chance de vitória para Felipão será no domingo, contra o Corinthians, às 16h.

Times leves, mas sem poder de fogo

Por motivos diferentes, as duas equipes entraram em campo com formações parecidas, mais leves e sem homens de referência no ataque. Pelo Ceará, Washington não pôde jogar por conta de uma cláusula em seu contrato, já que ainda pertence ao adversário. O ataque foi formado por um trio de velocistas: Misael, Tony e Erick Flores.

Já o Verdão, sem Edinho, Marcos Assunção e Pierre, também apostou em um jogo de velocidade. Felipão surpreendeu e deixou apenas Márcio Araújo com o trabalho de marcação. Tinga, Lincoln e Patrik tinham a missão de municiar Ewerthon e Kleber.

O Ceará foi o time que mais sentiu falta de um finalizador. Se Magno Alves – apresentado oficialmente antes do jogo – estivesse em campo, a história poderia ter sido diferente. O leve ataque de Estevam Soares soube envolver a defesa palmeirense, mas pecou na hora do chute. Deola só teve trabalho em duas ocasiões na primeira etapa: num chute de Erick Flores, logo no início, e numa cabeçada de Careca, que o goleiro defendeu em cima da linha de gol.

Retraído, o Palmeiras só levou maior perigo em um contra-ataque. Aos 29 minutos, Ewerthon avançou pela direita e encontrou Kleber na área. O Gladiador dominou, mas chutou sem força, nas mãos de Diego. O primeiro tempo terminou morno. Com boa qualidade e poucos erros de passe, é verdade, mas sem oportunidades mais claras. Era preciso chutar mais a gol para o jogo ter alguma emoção.

Aprenderam?

Para sorte de quem assistiu, os times descobriram que, sem finalizar, não há como tirar o zero do placar. Mesmo sem substituições, o Palmeiras voltou para o segundo tempo querendo jogo. Na base da força, Kleber quase abriu o placar aos seis minutos. Ele girou na pequena área,  livrou-se de Careca e soltou uma bomba de pé esquerdo, atingindo o travessão.

O Ceará também percebeu seria difícil fazer gol se não chutasse em direção à meta. Tony aprendeu bem com os erros do primeiro tempo e sentiu que deveria tentar. Por isso, arriscou da intermediária, e Deola teve de se desdobrar para fazer a defesa. A vida dos goleiros começava a ficar mais difícil…

Estevam Soares foi o primeiro a tentar algo diferente, sacando Erick Flores para a entrada de Wellington Amorim, homem de área. Logo no primeiro lance, ele se antecipou à zaga e cabeceou uma bola que passou raspando a meta palmeirense.

Mas coragem, mesmo, o Ceará só criou quando Léo foi expulso após falta infantil em Camilo. Só a partir daí o time abriu mão do esquema com três volantes e lançou o experiente Clodoaldo, baixinho que fez sucesso no rival Fortaleza. Ele já entrou em campo cobrando uma falta, que por muito pouco não foi no ângulo esquerdo de Deola.

A pressão continuou, justamente com os únicos dois jogadores que não hesitaram em chutar a gol. Wellington Amorim tentou, com o pé direito, de cabeça, mas sempre parou em Deola. Clodoaldo, idem. O camisa 22 palmeirense foi o responsável por segurar o 0 a 0, que, no fim das contas, acabou sendo lucro para o Verdão.

===============================

PONTOS GANHOS VITÓRIAS EMPATES DERROTAS
Em casa 11 Em casa 3 Em casa 2 Em casa 1
Fora de casa 3 Fora de casa 0 Fora de casa 3 Fora de casa 2
TOTAL 14 TOTAL 3 TOTAL 5 TOTAL 3
GOLS FEITOS GOLS SOFRIDOS
Em casa 9 Em casa 6
Fora de casa 3 Fora de casa 6
TOTAL 12 TOTAL 12
GOLS FEITOS NO 1º TEMPO GOLS FEITOS NO 2º TEMPO
Até os 15 minutos 4 Até os 15 minutos 4
Dos 16 aos 30 minutos 1 Dos 16 aos 30 minutos 2
Dos 31 aos 45 minutos 0 Dos 31 aos 45 minutos 1
Depois dos 45 minutos 0 Depois dos 45 minutos 0
TOTAL 5 TOTAL 7
GOLS SOFRIDOS NO 1º TEMPO GOLS SOFRIDOS NO 2º TEMPO
Até os 15 minutos 0 Até os 15 minutos 2
Dos 16 aos 30 minutos 1 Dos 16 aos 30 minutos 2
Dos 31 aos 45 minutos 2 Dos 31 aos 45 minutos 4
Depois dos 45 minutos 0 Depois dos 45 minutos 1
TOTAL 3 TOTAL 9
COMO FORAM OS GOLS MARCADOS COMO FORAM OS GOLS SOFRIDOS
Com o pé (dentro da área) 7 Com o pé (dentro da área) 7
Com o pé (fora da área) 2 Com o pé (fora da área) 2
Cabeça 1 Cabeça 3
Pênalti 1 Pênalti 0
Falta 1 Falta 0
Olímpico 0 Olímpico 0
Contra 0 Contra 0
Outros 0 Outros 0
Col. Colocação na Tabela PG J V E D GP GC SG
10º Palmeiras 14 11 3 5 3 12 12 0
DESEMPENHO
10ª 11ª 12ª 13ª 14ª 15ª 16ª 17ª 18ª 19ª
12º 10º 11º 10º 10º
20ª 21ª 22ª 23ª 24ª 25ª 26ª 27ª 28ª 29ª 30ª 31ª 32ª 33ª 34ª 35ª 36ª 37ª 38ª

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.