Twitter RSS
Close

Santos 3 x 4 Palmeiras – 14/03/2010

Um incrédulo e inconstante Palmeiras contra um embalado e badalado Santos.

A mídia já cravava o placar final antes mesmo da bola rolar.

Coube ao Palmeiras quebrar o encanto do Santos na temporada. O time de Antonio Carlos encerrou uma invencibilidade de 12 jogos do rival num clássico eletrizante na Vila Belmiro, marcado por comemorações provocativas, golaços e muita emoção.

O Santos abriu 2 a 0 com Pará e Neymar, mas o Palmeiras conseguiu a virada com Robert (duas vezes) e Diego Souza. Teve até dança do vira na comemoração. O troco veio com Madson, que imitou um porco ao empatar o jogo.

Mas quem riu por último foi o Palmeiras, que ganhou o jogo em um chute de longe de Robert, o artilheiro da tarde com três gols. Um duro golpe para os Meninos da Vila, aclamados como os melhores do Brasil no momento.

No fim, os Homens do Palestra deram uma lição nos “moleques da vila”.

Jogo válido pela 14ª rodada do Paulistão 2010.

FICHA TÉCNICA:

Estádio: Vila Belmiro, em Santos (SP)
Data/hora: 14/3/2010 – 17h (de Brasília)
Árbitro: Antonio Rogério Batista do Prado
Auxiliares: Dante Mesquita Junior e Rogerio Pablos Zanardo
Renda/público: R$ 543.935,00 / 11.452 pagantes
Cartões amarelos: Pará, Robinho (SAN); Edinho, Léo, Eduardo, Diego Souza e Marcos (PAL)
Cartões vermelhos: Neymar, 37’/2ºT (SAN); Léo, 42’/2ºT (PAL);
GOLS: Pará, 10’/1ºT (1-0); Neymar, 30’/1ºT (2-0); Robert, 41’/1ºT (2-1); Robert, 42’/1ºT (2-2); Diego Souza, 11’/2ºT (2-3); Neymar, 35’/2ºT (3-3) Robert, 42’/2ºT (3-4)

SANTOS: Felipe, Wesley (Madson, 28’/2ºT), Edu Dracena, Durval, Pará; Arouca, Marquinhos (Maranhão, 17’/2ºT), Paulo Henrique Ganso; Neymar, André (Zé Eduardo, 16’/2ºT) e Robinho. Técnico: Dorival Júnior.

PALMEIRAS: Marcos, Eduardo (Márcio Araújo, Intervalo), Léo, Danilo e Armero; Edinho (Ivo, 39’/2ºT), Pierre, Diego Souza e Cleiton Xavier; Ewerthon (Lincoln, 17’/2ºT) e Robert. Técnico: Antônio Carlos.

ESPN, Terra Esportes, Estadao, Folha Online.

Robert marca três, e Palmeiras acaba com a dança do Santos na Vila

ESPN.com.br
Tudo estava pronto para a festa e as danças de Robinho, Neymar e Ganso na Vila Belmiro. Mas a tarde foi de um atacante bem menos famoso e muito mais criticado. Robert, execrado pela torcida do Palmeiras, marcou três vezes e comandou a vitória por 4 a 3 no clássico, encerrando uma invencibilidade de 13 jogos do Santos, e mantendo vivas as esperanças de classificação do clube do Palestra Itália.

No início do jogo, o dia parecia mesmo destinado às comemorações irreverentes dos santistas. Logo aos dez minutos, Pará avançou pela esquerda e tentou cruzar para a área. Ele errou o cruzamento, mas acertou o ângulo do gol defendido por Marcos, abrindo o placar.

O Santos, líder do campeonato e baladado como melhor time do país, tomou o controle da partida. E, aos 30, ampliou após ótima jogada de Ganso, que encontrou Neymar livre para fazer 2 a 0. Depois da bola na rede, os santistas fizeram mais uma vez suas tradicionais coreografias. Aos palmeirenses, restou apenas assistir à irreverência dos rivais.

No momento em que o Santos parecia ter o jogo nas mãos, dois lances mudaram o rumo da partida. Aos 40 minutos, Robert aproveitou cruzamento de Cleiton Xavier e, de cabeça, diminuiu. No lance seguinte, o atacante voltou a aparecer e aproveitou passe de Armero para empatar.

No segundo tempo, o clássico continuou emocionante. Em quatro minutos, uma chance para cada lado. Primeiro, foi a vez de Marcos salvar o Palmeiras no chute de Paulo Henrique. Na sequência, Ewerthon desarmou Wesley, invadiu a área e finalizou para fora.

Em nova falha da zaga santista, o Palmeiras fez o que muitos pareciam impossível: virou o placar. Aos 11 minutos, Cleiton Xavier fez o levantamento, Léo cabeceou na trave e Diego Souza completou para as redes.

Ciente de que seu time perdeu a força ofensiva, Dorival Júnior mudou o esquema de jogo. Maranhão entrou na lateral direita e Wesley passou a atuar no meio-campo. Marquinhos foi sacado. Além disso, Zé Eduardo substituiu o apagado André na frente.

As alterações surtiram efeito, o Santos passou a pressionar e acordou sua torcida. Aos 34 minutos, veio o empate. Paulo Henrique foi o autor da assistência para a conclusão de Madson na saída de Marcos.

No fim, Neymar acabou expulso por falta em Pierre e deu nova vida ao Palmeiras. Inspirado, Robert roubou bola no campo de ataque e mandou uma bomba para vencer Felipe. Nem mesmo a expulsão de Léo evitou o triunfo do Verdão por 4 a 3.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.