Twitter RSS
Close

Palmeiras 0 x 1 Mirassol – 31/03/2012

24696
Wesley briga pela bola. O técnico Luis Felipe Scolari, que já não poderia contar com o meia chileno Valdivia, que ainda está contundido, deu descanso a Marcos Assunção, Cicinho e Leandro Amaro. Evelson de Freita/AE

Sentindo demais a falta de Valdívia e Marcos Assunção, fizemos mais uma péssima partida e fomos derrotados em casa.

Uma vitória nos daria a liderança provisória do campeonato. A derrota nos deixa na 4ª colocação.

Jogo válido pela 17ª rodada do Paulistão 2012.

FICHA TÉCNICA

Local: Pacaembu, São Paulo (SP)
Data: 31/03/2012, sábado
Horário: 18h30 (de Brasília)
Árbitro: Márcio Roberto Soares
Assistentes: Eduardo Vequi Marciano e Maria Eliza Correia Barbosa
Assistentes adicionais: Márcio Henrique de Gois e Edson Reis Pavani e Júnior
Cartões amarelos: Henrique Dias, Fernando Leal (Mirassol)
Público: 8.502 pagantes
Renda: R$ 294,740,00
Gol: Preto, aos 23 minutos do segundo tempo

Palmeiras: Deola; Artur (Chico), Maurício Ramos, Henrique e Juninho; Márcio Araújo, João Vitor, Wesley (Ricardo Bueno) e Daniel Carvalho (Pedro Carmona); Maikon Leite e Barcos
Técnico: Luiz Felipe Scolari

Mirassol: Fernando Leal; Samuel, Dezinho, Matheus e Willian Simões; Acleisson, Sérgio Manoel, Alex Silva e Xuxa; Preto (Borebi) e Henrique Dias (Malaquias) (Igor)
Técnico: Ivan Baitello

Palmeiras cria pouco e perde do Mirassol no Pacaembu

Com um futebol burocrático e errando na defesa, time alviverde foi derrotado por 1 a 0

31 Março 2012 | 20h26

Sentindo a falta de Marcos Assunção e Valdivia, o Palmeiras decepcionou sua torcida neste sábado, 31, à noite, no Pacaembu. Com um futebol burocrático e errando muito no setor defensivo, o time do técnico Luis Felipe Scolari foi batido pelo Mirassol por 1 a 0, em jogo válido pela 17.ª rodada do Campeonato Paulista.

A equipe alviverde perdeu uma invencibilidade de 22 jogos ao ser derrotada pelo Corinthians, domingo passado, penou para vencer o Paulista na quarta e agora sofreu mais este revés. Antes líder, o Palmeiras está em terceiro e pode até ser ultrapassado pelo Santos, que tem dois pontos a menos e pula para o terceiro lugar com uma vitória sobre a Portuguesa, domingo.

Até o fim do Paulistão, o Palmeiras ainda pega o Guarani (em Campinas) e o Comercial (em casa). Antes, na quarta, visita o Horizonte, no Ceará, pela segunda fase da Copa do Brasil. Já o Mirassol foi a 21 pontos, em nono, e por mais que tenha chances remotas de ir às quartas de final (tem cinco pontos a menos que o Bragantino, o oitavo), atualmente ocupa a segunda vaga paulista na Série D.

O JOGO

Mal a bola rolou no Pacaembu e já era possível perceber que Marcos Assunção e Valdivia fariam falta. A criação de jogadas sobrou para Daniel Carvalho e Wesley, esse visivelmente sem ritmo de jogo. Para piorar, as duas únicas chances, por mínimas que fossem, caíram justamente nos pés do volante. Uma ele mandou muito longe, e na seguinte preferiu chutar rasteiro, tirando tinta da trave direita do Mirassol.

A segunda destas chances foi aos 15 minutos do primeiro tempo e, dali em diante, o Palmeiras não fez mais nada até o intervalo. Com a zaga alviverde mal postada (Leandro Amaro foi poupado e substituído por Maurício Ramos), o Mirassol tinha espaços para chegar com perigo à meta de Deola.

Foram duas chances claras perdidas pelo time do interior só no primeiro tempo. Aos 21, Serio Manoel saiu na cara de Deola e bateu pelo lado. Depois, aos 36, Henrique Dias cruzou da esquerda e Samuel, sozinho no meio da área, chutou por cima.

O Palmeiras voltou outro time para o segundo tempo. Talvez querendo responder as vaias que ouviu da torcida na saída para o intervalo, foi para cima e ficou perto de abrir o placar. Aos 10 minutos, Wesley arriscou, Fernando Leal deu rebote, Alex Silva quase fez contra no rebote, mas o goleiro salvou de novo. No lance seguinte, novamente Wesley parou em Leal, mas desta vez foi Daniel Carvalho quem perdeu no rebote.

O gol parecia questão de tempo quando Felipão resolveu trocar Artur por Chico. No ataque seguinte do Mirassol, exatamente pelo lado direito da direita, Preto invadiu a área, bateu cruzado, e fez 1 a 0.

Em desvantagem, o Palmeiras se assustou e deixou o Mirassol mandar no jogo. O time do interior teve três boas diversas chances de ampliar, mas em todas parou em Deola. Nos 10 minutos finais, com Pedro Carmona no lugar de Daniel Carvalho, o time da casa foi para a pressão desorganizada, mas só levou perigo uma vez, num chute de Maikon Leite que Fernando Leal defendeu.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.