Twitter RSS
Close

Palmeiras 1 x 1 Vasco – 16/11/2011

O palmeirense Cicinho e o vascaíno Felipe disputam lance (Foto: Sergio Neves/Agência Estado)

O Palmeiras não conseguiu encerrar o jejum de vitórias. Agora são dez jogos sem vencer.

O visitante foi superior a partida toda e o torcedor viu um Palestra com dificuldades para articular lances ofensivos. A bola parada era o único ponto forte e esperança de gols.

Com o ponto conquistado, o Verdão subiu provisoriamente para a 12ª posição, com 43 pontos, mas está a somente seis pontos da zona de rebaixamento.

Jogo válido pela 35ª rodada do Brasileirão 2011.

FICHA TÉCNICA

Local : Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data: 16 de novembro de 2011 (Quarta-feira)
Horário: 21h50 (de Brasília)
Árbitro : Leandro Pedro Vuaden (Fifa-RS)
Assistentes : Carlos Berkenbrick (Fifa-SC) e Kleber Lucio Gil (SC)
Cartão amarelo: Renato Silva e Dedé (VAS); Pedro Carmona e Thiago Heleno (PAL)
Público : 8.153 pagantes
Renda : R$ 122.555,00

GOLS:
PALMEIRAS
: Luan, aos 18 minutos do 2º tempo
VASCO : Dedé, aos 3 minutos do 1º tempo

PALMEIRAS: Deola; Cicinho, Leandro Amaro, Thiago Heleno e Gerley; Márcio Araújo, Marcos Assunção, João Vítor (Chico) e Patrik (Pedro Carmona); Luan e Ricardo Bueno (Dinei)
Técnico: Luiz Felipe Scolari

VASCO: Fernando Prass; Fagner, Dedé, Renato Silva e Jumar; Nilton, Fellipe Bastos, Felipe e Allan (Diego Rosa); Eder Luis (Bernardo) e Diego Souza (Elton)
Técnico: Cristóvão Borges

Esporte – iG, Globo Esporte, Terra Esportes, Folha Online.

Palmeiras empata com Vasco, mantém jejum e ajuda rival Corinthians

Diego Garcia
Direto de São Paulo

O Palmeiras não conseguiu se livrar da crise que o assola no segundo turno do Campeonato Brasileiro, ampliou a série negativa para dez jogos e, de quebra, deu uma “força” para o arquirrival Corinthians na briga pelo título. No Pacaembu, a equipe comandada por Luiz Felipe Scolari saiu atrás no marcador, mas buscou o empate por 1 a 1 com o Vasco da Gama e deixou o clube carioca na segunda posição na tabela, dois pontos atrás dos alvinegros do Parque São Jorge.

Os vascaínos, já classificados para a Copa Libertadores da América de 2012 e interessados apenas na conquista nacional, abriram a contagem no Pacaembu aos 4min, com o zagueiro Dedé. Luan deixou tudo igual para os palmeirenses, aproveitando confusão na área depois de escanteio cobrado por Marcos Assunção, aos 19min da etapa final.

O gol de Luan fez com que o Vasco somasse somente um ponto e chegasse aos 62, enquanto o Corinthians, que venceu o Ceará por 1 a 0, pulou para 64 e se tornou líder isolado do Brasileiro. O Palmeiras, que agora não vence há dez partidas, subiu provisoriamente para a 12ª posição, com 43 pontos, mas está a somente seis pontos da zona de rebaixamento.

Ainda ameaçado pela queda à Série B do Campeonato Brasileiro, o Palmeiras tem compromisso fora de casa no final de semana: os comandados de Felipão enfrentam o Bahia, às 19h (de Brasília) de domingo, em Pituaçu. Um dia antes, mas também às 19h, o Vasco recebe o Avaí, em São Januário.

Previsível e pragmático

O Palmeiras entrou em campo em situação mais do que incômoda: precisava da vitória para amenizar o péssimo momento que ronda o Palestra Itália e se afastar da zona de rebaixamento. Ao mesmo tempo, contudo, poderia abrir caminho ao rival Corinthians na briga particular com os cruzmaltinos pelo título do Brasileiro.

Já o Vasco, interessado somente nos importantes três pontos no Pacaembu, não tomou conhecimento dos rivais e conseguiu abrir o placar em uma falha do goleiro palmeirense no ponto mais fraco da defesa alviverde: as bolas pelo alto. Com somente 4min de jogo, Deola saiu muito mal do gol após cobrança de escanteio e não conseguiu evitar a cabeçada de Dedé.

Com clara dificuldade para articular jogadas, o Palmeiras tinha as melhores oportunidades a partir de um dos três volantes escalados por Luiz Felipe Scolari: Marcos Assunção, que levava perigo nas bolas paradas contra o gol de Fernando Prass. Previsível e pouco criativo, o time mandante foi pouco efetivo na busca pelo empate e foi para o intervalo em desvantagem.

Durante os pouco empolgantes 45 minutos iniciais no Pacaembu, a melhor jogada palmeirense saiu aos 17min, quando Marcos Assunção cobrou falta de longe e obrigou Prass a se atirar no chão para fazer a defesa. Bastante recuado, o Vasco se dispôs a basicamente segurar o resultado.

Igualdade e gol “perigoso”

Felipão preferiu esperar para fazer alterações no Palmeiras, mas não viu grandes mudanças em relação ao estilo de jogo no início do segundo tempo. Além disso, o comandante quase viu Dedé anotar o segundo gol na partida, novamente de cabeça. Deola, porém, fez boa defesa para salvar o time.

Aos 15min, o Palmeiras fez uma mudança dupla, com as saídas de Patrik e Ricardo Bueno para as entradas de Dinei e Pedro Carmona. Logo em seguida, em jogada de bola parada, os paulistas alcançaram a igualdade aos 19min: Marcos Assunção cobrou escanteio, Thiago Heleno desviou de forma esquisita e Luan aproveitou o bate-rebate na área para chutar forte para o gol vazio.

Após o gol, Cristóvão Borges fez as três substituições permitidas em apenas dez minutos no Vasco, entre os 20 e 29min: ele trocou Éder Luís, Diego Souza e Allan por Bernardo, Elton e Diego Rosa, respectivamente. Ainda assim, os cariocas conseguiram criar poucas chances contra a meta de Deola.

Mais perigoso acabou sendo o Palmeiras, sempre a partir de jogadas saídas dos pés de Marcos Assunção. O experiente volante, porém, não conseguiu acertar o alvo defendido por Prass e viu o time aumentar o momento adverso.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.